SÃO FRANCISCO DE ASSIS

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

“Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã terra, terra que nos sustenta e produz frutos com flores coloridas e as verduras. ”

Giovanni di Pietro di Bernardone, Francisco de Assis, era Filho de Pedro e Dona Pica Bernardone. Ele nasceu em 05/07/1182 e faleceu em 03/10/1226, na cidade de Assis, Itália. Seu pai era um próspero comerciante. Viajava muitas vezes à França, onde comprava mercadorias para seu comércio, de onde trouxe sua linda e bondosa esposa, Dona Pica. Sendo ela de origem francesa. As primeiras palavras ternas e afetuosas que o menino ouviu foram francesas

Francisco foi batizado em Santa Maria Maior (antiga catedral de São Rufino)  - com o nome de João (Giovanni).

Quando Pietro Bernardone voltou de uma viagem à França, resolveu trocar o nome do filho para Francisco, prestando uma homenagem à França.

 Francisco recebeu boa catequese cristã. Mas o caráter e as qualidades melhores lhe vieram da mãe: meiga e firme, cristã fervorosa, toda dedicada à família.

Cedo, o garoto Francisco aprendeu do pai a arte do comércio que manejava com inteligência e proveito. Era um jovem alegre, amante da música e das festas e, com muito dinheiro para gastar. Tornou-se um ídolo entre seus companheiros. Adorava banquetes, noitadas de diversão e cantar serenatas para as belas damas de sua convivência.

Francisco abandonou as mordomias palacianas e tornou-se um frade católico da Itália. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, fundando a ordem mendicante dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o Catolicismo de seu tempo. Criou o costume da pregação itinerante do Evangelho de Jesus, contrariando os costumes dos monges fechados em seus mosteiros. Acreditava que o Evangelho devia ser seguido à risca, imitando-se a vida de Cristo. Desenvolveu uma profunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo. Dedicou-se aos mais pobres dos pobres. Amou todas as criaturas chamando-as de irmãs.

Francisco tinha uma visão positiva da natureza e do homem, influenciando a imaginação de toda a sociedade de sua época. Foi uma das forças primeiras que levaram à formação da filosofia da Renascença. Foi original quando afirmou a bondade e a maravilha da Criação num tempo em que o mundo era visto como essencialmente mau.

Dante Alighieri disse que ele foi uma "luz que brilhou sobre o mundo". Foi a maior figura do Cristianismo desde Jesus. Desfruta ainda hoje de enorme prestígio nos círculos cristãos.

Francisco foi canonizado pela Igreja Católica menos de dois anos após falecer, em 1228. Por seu apreço à natureza é mundialmente conhecido como o santo patrono dos animais e do meio ambiente.

SÃO FRANCISCO E O PAPA FRANCISCO

  O Papa argentino Bergoglio adotou o nome de Francisco exatamente por já viver a espiritualidade cristã da pobreza e do cuidado e respeito pela natureza.

Baseado na mística do amor à natureza, de São Francisco, o Papa Francisco – 24/05/2015 -  escreveu a grande e importante Encíclica com o nome de “Laudato Si” clamando pelo respeito à natureza e à proteção do Meio Ambiente, em favor da preservação da vida no Globo Terrestre, nossa casa comum. A nossa irmã terra, com a qual nós compartilhamos a existência, é considerada como u´a bela mãe a buscar um desenvolvimento sustentável e integral e a colaborar na construção da nossa casa comum. 

A grande Encíclica papal começa assim os seus dizeres: «Laudato si’, mi Signore», - “Louvado sejas meu Senhor -  como cantava são Francesco de Assis. Louvado sejas, meu Senhor pela nossa mãe Terra, a qual nos sustenta e governa e produz frutos coloridos com flores coloridas e verduras”.

 O Papa Francisco lançou para o mundo um convite urgente para se renovar o diálogo sobre a maneira de como estamos construindo o futuro do planeta. Pediu que, seja feito todo o esforço pelos muitos movimentos ecológicos para sensibilizar o mundo sobre a urgência de zelarmos pela nossa “casa comum”, a terra em que habitamos. Ele lamenta que ainda haja indiferença, acomodação e falta de solidariedade universal no esforço para com o cuidado da criação. 

Na Encíclica "Sobre o Cuidado da Casa Comum" o Papa Francisco, critica o consumismo e o desenvolvimento irresponsável e faz um apelo à mudança e à unificação global das ações para combater a degradação ambiental e as alterações climáticas.

Bergoglio convida-nos a nos empenharmos num desenvolvimento sustentável e integral e a colaborar na construção da nossa casa comum.

Como será o Universo daqui a poucos anos se nós continuarmos a destruir as matas, a poluir o ar, a água e o solo?

Somos chamados por Francisco de Assis e pelo Papa a zelarmos seriamente pelo mundo em que vivemos se quisermos sobreviver sadiamente e ter uma qualidade de vida digna.

 Preservar e proteger a natureza é assegurar para cada ser vivo saúde e bem-estar.

 São Francisco de Assis continua atual e necessário para todos nós.

 

Pe. Geraldo Ildeo Franco – outubro 2016