Corpus Christi

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Corpus Christi foi criado o século XIII como forma de se valorizar e comemorar a presença real de Jesus no sacramento da Eucaristia, quando os fiéis estavam frios e duvidando da importância deste sacramento para a Igreja.

Aqui no Brasil a data é celebrada com um feriado, sempre em uma quinta-feira. A comemoração de Corpus Christi ocorre exatamente 60 dias após a Páscoa. Na quinta seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade, é comemorado Corpus Christi.No dia de Corpus Christi, os fiéis católicos celebram a presença real de Jesus ressuscitado no sacramento da eucaristia.

A expressão latina Corpus Christi significa “corpo de Cristo”. Desse modo, o nome escolhido para essa manifestação pública de fé já sugere o seu significado: adorar a Jesus pelas ruas e praças, despertando no povo amor e respeito pela presença de Jesus na Eucaristia.  Esse sacramento é realizado como uma forma de rememorar a morte e ressurreição de Jesus Cristo, que continua vivo entre nós. Nesse sacramento, o pão a ser consumido tornou-se o corpo de Cristo, e o vinho o sangue de Cristo.

A eucaristia nasceu da Última Ceia, realizada por Cristo com seus discípulos durante a Semana da Páscoa.  O pão e o vinho consagrados tornam-se o sacramento, memorial de Jesus vivo entre nós como penhor da vida eterna e como vida para as nossas vidas.

Pelos ensinamentos dos Evangelhos e da teologia católica, na eucaristia ocorre a transubstanciação, pela qual a matéria (hóstia e vinho), após serem consagrados, transforma-se, em essência, na carne e no sangue de Cristo.

Uma tradição típica de Corpus Christi no Brasil trazida pelos portugueses é a atividade de produzir tapetes enfeitando o trajeto por onde a procissão com o Santíssimo Sacramento vai passar. Os tapetes de Corpus Christi são uma prática comum em muitas partes do país, representando símbolos e cenas importantes da fé católica. Os tapetes são confeccionados a partir de vários produtos, como serragem, borra de café, areia etc.

A ORIGEM DA FESTA DE CORPUS CHRISTI

A origem da comemoração dessa data remonta ao século XIII, oficialmente em 1264, durante o pontificado de papa Urbano IV (papa da Igreja de 1261 a 1264). A criação de uma comemoração em homenagem ao sacramento da Eucaristia foi resultado da influência dos relatos de Juliana de Mont Cornillon, uma freira belga em 1193.

Juliana de Mont Cornillon dizia ter, durante anos, visões e sonhos que traziam uma mensagem divina acerca da importância de se criar uma festa que comemorasse de maneira pública apropriada o sacramento da eucaristia. Esses relatos influenciaram inicialmente Roberto de Thourotte, bispo da diocese de Liège, que autorizou a realização de uma comemoração para 1247.

O bispo de Thourotte nunca chegou, de fato, a presenciar a comemoração ser realizada, pois acabou falecendo antes disso. No entanto, os relatos de Juliana impactaram outra pessoa em Liége: o arcediago Jacques Pantaleon, nascido em Troyes, na França. Em 1261 foi eleito papa com o nome de Urbano IV, que foi o responsável por oficializar a criação dessa celebração para toda a Igreja.

Além dos relatos de Juliana de Mont Cornillon, outro acontecimento narrado sensibilizou o papa a criar Corpus Christi. Em 1264, um sacerdote da Boêmia chamado Pedro de Praga foi a Roma para se encontrar com Urbano IV. Durante seu retorno à Boêmia, Pedro de Praga deteve-se em Bolsena e lá celebrou uma Missa. Durante a celebração, conta-se que sangue começou a verter da hóstia consagrada.

Esse suposto milagre ficou conhecido como Milagre de Bolsena. Seu relato rapidamente se espalhou, alcançando o próprio papa, que, pouco tempo depois, oficializou para toda a Igreja a festa de Corpus Christi. Aos poucos, a festa difundiu-se por outras localidades da Europa.

NÃO NEGAMOS OS MILAGRES,  MAS BASTA A PALAVRA DE JESUS  NOS EVANGELHOS SOBRE A EUCARISTIA.

Nós não negamos os milagres, Mas não precisamos de milagres para acreditarmos na presença real de Jesus na Eucaristia. Bastam as palavras de Jesus nos Evangelhos:

Mateus 26, 26 ss: “Enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo-o abençoado, partiu-o e, distribuindo-o aos discípulos, disse: “tomai e comei, isto é o meu corpo. Depois tomou o cálice e, dando graças, deu-o a eles dizendo:  ”Bebei dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, que é derramado por muitos para a remissão dos pecados”.

Marcos 14, 22 ss: Enquanto comiam, ele tomou um pão, abençoou, partiu-o e lhes deu, dizendo: “Tomai, isto é o meu corpo”. Depois, tomou um cálice, rendeu graças, deu a eles, e todos dele beberam. E disse-lhes: “Isto é o meu sangue, o sangue da Aliança, que é derramado em favor de muitos.

Lucas 22,14 ss: Quando chegou a hora, ele pôs-se à mesa com os seus apóstolos e disse-lhes: ”Desejei ardentemente comer esta páscoa convosco antes de sofrer; pois eu vos digo que já não a comerei até que se cumpra no Reino de Deus”.

Então, tomando uma taça, deu graças e disse: “Tomai isto e reparti entre vós, pois eu vos digo que, doravante não beberei do fruto da videira, até que venha o Reino de Deus”.

E tomou um pão, deu graças, partiu e deu-o a eles, dizendo: “Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória”. E, depois de comer, fez o mesmo com a taça dizendo: “Essa taça é a Nova Aliança m meu sangue, que é derramado por vós”.

I Coríntios: 11, 17 ss: ... Na noite em que Jesus foi entregue, tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: “ Isto é o meu corpo, que é para vós; fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo, após a ceia também tomou o cálice, dizendo: “Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de mim. Todas as vezes, pois, que comeis deste pão e bebeis deste cálice, anunciais a morte do Senhor até que ele venha”.

 

Pe. Geraldo Ildeo Franco  - Junho 2019