AS CARTAS APOSTÓLICAS – CATÓLICAS -  DE JOÃO

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

As comunidades cristãs atravessavam grave crise. Sofriam influência de pregadores cujo ensinamento se afastava da revelação cristã. O perigo vinha de uma heresia que não identificava mais Jesus como o Messias: João 2,22.  Rejeitava a Encarnação: 4,2. Não se preocupava mais com o mandamento do amor fraterno: 2, 4.9. Achava que bastava estar em comunhão com Deus e não ter necessidade de confessar suas faltas: 1, 8.10.

Para esses hereges, não se levava Jesus a sério nem o amor fraterno, tornando-se a base para fortalecer o agnosticismo logo em seguida.

As cartas de João, mesmo não vociferando contra os hereges, não entram em polêmica com eles.  Querem ajudar os cristãos a resistir à sedução das falsas doutrinas. Afirmam que são os cristãos que, na fidelidade aos ensinamentos apostólicos, possuem a verdadeira comunhão com Deus: 1,3. João mostra-lhes os critérios para distinguir os que creem verdadeiramente.

JOÃO

Certamente as três epístolas são de São João apóstolo. Mostram a mesma situação subjacente nas comunidades, dado o mesmo estilo e conteúdo com a mesma predileção.

O título de Ancião mostra a pretensão de ter pertencido ao grupo dos doze apóstolos prova que deve ser mesmo o autor, pelo menos das duas primeiras cartas: 1,3; 4,14.

Ancião aqui designa um homem que conhecera Jesus e seus discípulos; um apóstolo de idade avançada.  Além disso, essas cartas têm muita semelhança de estilo com o quarto evangelho.

A PRIMEIRA CARTA

Esta carta não menciona o autor nemo destinatário, nem muito menos faz   a saudação final. Mas o autor demonstra conhecer bem os leitores na situação crítica em que se encontravam. Por isso, ele os exorta à fidelidade, chamando-os de “filhinhos”. A Carta foi para um grupo de Igrejas da Ásia, para sustenta-lo e iluminá-lo no combate pela fé.

A SEGUNDA E A TERCEIRA EPÍSTOLAO

“O Ancião, à Senhora eleita e seus filhos, que amo na luz da verdade – não apenas eu – mas também todos os que têm conhecimento da verdade – em virtude da verdade que permanece em nós e estará conosco para sempre: conosco estarão para sempre“. I João 1-3.

A segunda e a terceira carta de João têm mais estilo de epístola. São os menores livros da bíblia, apenas com 13 versículos cada.

A segunda é dirigida “à senhora eleita e a seus filhos”, título que o Ancião dá a uma das Igrejas da Ásia, que dele dependem. Os perigos que ameaçam a comunidade são os mesmos apresentados na primeira carta.

TERCEIRA EPÍSTOLA

“ O Ancião, ao muito amado Gaio, a quem amo na luz da verdade”. 3 João 1.

A terceira epístola tem estilo semelhante ao da segunda, com um tom mais pessoal. É dirigida a um certo Gaio, que o Ancião felicita por sua fidelidade e o encoraja a perseverar. Trata-se de um trabalho missionário assumido por pregadores itinerantes enviados pelo Ancião. Gaio continua a lhes dar apoio, enquanto Diótrefes, o chefe da comunidade, recusa as mensagens do Ancião e se subtrai à sua autoridade.

Este bilhete tem um caráter pastoral e não se refere às doutrinas heréticas de que falam os dois primeiros escritos. Mas a oposição feita por Diótrefes à obra de evangelização do Ancião pode explicar sua simpatia pelas doutrinas dos falsos profetas.

A AUTÊNTICA VIDA CRISTÃ

As três cartas joaninas apresentam uma síntese da vida cristã autêntica. Vida de comunhão com Deus, ela realiza com perfeição a Nova Aliança entre Deus e os homens, anunciada pelos profetas para os tempos da salvação. Esta vida tem sentido na comunhão fraterna e que se torna possível na vida do fiel pela verdade de Deus, interiorizada nele pela ação do Espírito.

Sem abandonar a perspectiva última de salvação, pela qual vereemos o Filho de Deus como ele é, João percebe desde já, na existência cristã de agora, a alegria dos últimos tempos que se aproximam da plenitude.

Setembro 2019 - Padre Geraldo Ildeo Franco.

O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com nossos olhos, o que contemplamos e nossas mãos tocaram do Verbo da vida; pois a vida se manifestou e nós vimos e damos testemunho e vos anunciamos, também a vós, para que também estejais em comunhão conosco. E nossa comunhão é comunhão como o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo. E isto vos anunciamos para que a nossa alegria seja completa”. João 1, 1-4.