O EVANGELHO DE LUCAS: O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

O Evangelho de Lucas se refere diretamente ao tempo de Jesus que se dirige ao povo de Israel, dentro da Palestina, mas nas entrelinhas vai mostrando que, após a Ressurreição, todos entenderiam que a missão de Jesus é a missão da Igreja.

Lucas, no seu Evangelho, pensa constantemente no alcance da mensagem de Jesus para o tempo da Igreja. Podemos dizer que o DNA dos escritos lucanos nos leva para a vivência da Ressurreição após a vitória de Jesus sobre a morte.

O livro de Atos, do mesmo Lucas, se refere ao tempo da Igreja nascente e se expandindo, para fora da Palestina, perseguida pelos romanos e pelos judeus, quando Jesus ressuscitado ordena a expansão da Igreja para fora de Israel, ou seja, para o meio pagão. Para Lucas a salvação é dada “hoje”, em plenitude (2,11; 3,22; 4,21).

- Jesus é apresentado como o Salvador dos pobres e infelizes (4,18,21).

- Seu ensinamento é uma regra para “cada dia” (19, 23)“... por que não depositaste o dinheiro no banco?”; (11,3): “dá-nos o pão que nos é necessário cada dia”; (17,4): “... se teu irmão se arrepender, perdoa”).

- Insiste sobre a conversão inicial para podermos segui-Lo: (5,32; 7,36-50; 13,1-5).

- Sobre a fé: (1,20: Zacarias fica mudo porque não acreditou) (1,45; 7,50; 8,12-13)

- Sobre a oração: (11,1-13: Pai Nosso); (18,1-8; 21,36; 5,16; 6,12).

 - Durante o seu Batismo, Jesus ora (3, 21). Aliás, Jesus vive em oração.

- Tudo deve ser realizado a exemplo de Jesus ,10.1). Jesus envia os apóstolos para uma missão árdua, difícil, que, entretanto, são causa de extrema alegria.

- As exigências do Senhor Jesus são rigorosas, mas provocam a verdadeira e profunda alegria: Renúncia às riquezas (6,24: “Ai de vós ricos...” - 12,13-34; 16, 1-13).

- O anúncio da Salvação (1,14: João Batista haveria de trazer gozo e alegria) (28.41.44;6,23; 8,13): “Você ficará feliz e radiante e muitos se alegrarão quando ele (João Batista) nascer”.

- Os milagres (10,17: até os demônios obedecem por causa do nome de Jesus)

(13,17,19,37),

- A fé dos pequeninos (10,21: - “eu te louvo, ó Pai porque revelaste aos pequeninos.

- A conversão dos pecadores (15: a moeda, a ovelha e o filho perdidos) e 19,6. 9.2) e A infinita misericórdia de Deus Pai.

- A insistência na salvação presente atenua a tensão orientada para a vinda final do Filho do homem (17,23; 19,11; 21,8-9). Entretanto, essa perspectiva persiste como motivo de vigilância (12,35-48; 19,11-27; 21,5-36).

 - Lucas, portanto, insiste em que nós devemos AGORA viver como ressuscitados e assimilar os valores e ensinamentos de Jesus, carregar a Cruz, para podermos ter a verdadeira alegria.

Pe. Gildeo – fevereiro 2016