CAMPANHA DA FRATERNIDADE - CF - 2016: ECUMÊNICA - Parte II.

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

- A CF 2016 é ecumênica e é assumida no Brasil e até as comunidades cristãs da Alemanha.

- O Lema da CF 2016 é: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” – Amós 5,24.

- O Tema é: Casa comum, nossa responsabilidade.

- Dez milhões de brasileiros não estão tendo direito a saneamento básico, o que provoca doenças e pobreza diretamente. Todas as pessoas têm direito ao saneamento básico. Todos nós, à luz da fé, devemos nos empenhar em favor das políticas que garantam a integridade e o futuro de nossa casa comum.

- Devemos desenvolver e assumir atitudes responsáveis em vista do mínimo necessário no que se refira ao saneamento básico. Este é um direito fundamental de cada pessoa. Requer a união e os esforços entre a sociedade civil e o poder público no planejamento, na execução das obras, na prestação de serviço e de cuidados em favor da saúde de cada ser vivo.

- Não vivemos isoladamente neste mundo. Todo nosso comportamento em relação ao meio ambiente e saneamento básico devem obrigatoriamente ter um compromisso com o futuro do planeta e da vida.

- O Ecumenismo nos une, conforme o Evangelho de João nos ensina: “Que todos sejam UM como Tu, ó Pai e Eu somos um” – João 17,21. A união das Igrejas pode denunciar os erros e anunciar novos caminhos mais humanitários em benefício de todos.

- O CONIC (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs) é composto basicamente pelas Igrejas: Católica, Luterana, Ortodoxa, Metodista e Presbiteriana.

- O CONIC nos une na promoção da justiça, da paz, do cuidado com a criação, na convivência pacífica, no diálogo, repartindo os dons e recursos na sua missão evangelizadora.

- A CF 2016 é a quarta CF Ecumênica, que aconteceu desde os anos de 2000, 2005, 2010.  O que nos une é a fé em Jesus Cristo. Juntos possamos construir uma casa comum, justa, sustentável e habitável para todos os seres vivos.

- A CF 2016 coloca-nos em uma luta profética, em que denunciamos e questionamos as estruturas que causam e legitimam os vários tipos de exclusão econômica, ambiental, social, racial e étnica que fragiliza a dignidade de mulheres e homens.

- A CF de 2000 trabalhou em favor da dignidade humana e da paz. Seu Lema foi: Novo milênio sem exclusões.

- A CF de 2005 gritou profeticamente com o Tema: Solidariedade e Paz. Seu Lema foi: Felizes os que promovem a Paz – Mateus 5,9.

- A CF 2010 teve como Lema os seguintes dizeres: Economia e Vida. Tema: “Vocês não podem servir a dois senhores” – Mateus 6,24.

- A CF 2016 apresenta o grito profético, denunciando erros e anunciando justas soluções, em favor da vida digna de todos os seres humanos. Assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam integridade e futuro saudável para a nossa casa comum. Todos nós devemos nos sentir responsáveis e ter o devido cuidado com a criação e a luta pela justiça, sobretudo dos países mais pobres e vulneráveis.

- Somos chamados a refletir sobre os modelos que têm orientado a política e a economia que estão afetando e danificando o meio ambiente e a vida de todos os seres humanos: vegetal, animal, humano, além de envenenar o solo.

- Denunciar e promover o saneamento básico, fonte de saúde o não para todos nós.

- Denunciar o modelo econômico e político que ameaçam a vida.

- Tomar consciência da crise hídrica tem assustado as regiões, como em São Paulo, pela falta de água potável.

- Pesquisar as causas que provocaram a falta de água potável e promover soluções adequadas.

- Como seres viventes deste Planeta, e, ainda mais, como cristãos, temos o dever de denunciar todos e tudo aquilo que possa danificar o ar, a água do Planeta Terra.

- A MISEREOR é uma Entidade Alemã, criada para socorrer as comunidades mais carentes do mundo inteiro. Colabora da defesa dos direitos humanos, econômicos, sociais e culturais dos mais sofridos. Considera que esses Direitos básicos são inegociáveis. Os fundos que garantem o trabalho humanitário da Misereor são doações dos fieis, especialmente no tempo da Quaresma.

- Desde 1958, a Misereor tem trabalhado nos Países mais carentes, oferecendo-lhes ajuda especialmente para que se tenha um justo saneamento básico em favor da saúde de todos.

- Em 2015 foram promovidos diversos debates sobre as mudanças climáticas e os efeitos do capitalismo selvagem que visa, em primeiro lugar, o seu próprio lucro. Desconhece os prejuízos causados pela ganância, pela poluição e pela destruição dos bens da casa comum de todos nós. Muitos empreendimentos capitalistas querem apenas a aquisição de lucro imediato.

- O tema da justiça ambiental foi o assunto central da Conferência do Clima, promovida pela ONU.

- A peregrinação por justiça e paz denunciou a ação destrutiva do atual modelo de desenvolvimento que afeta mais diretamente os mais pobres.

- Impõe-se-nos a necessidade urgente da superação desse modelo satânico de desenvolvimento baseado apenas no consumo, na venda e na ganância de se obter lucro para alguns e em detrimento da maioria da população.

- A Encíclica Laudato Si, do Papa Francisco alerta sobre o cuidado que devemos todos nós ter pela casa comum. Clama para que assumamos o desafio de proteger a casa comum, unindo-nos e criando um desenvolvimento sustentável e integral

- No Brasil é urgente e imprescindível, para se ter saúde, água potável e esgoto sanitário, limpeza urbana, manejo dos resíduos sólidos, limpeza urbana, controle dos meios transmissores de doenças como a dengue, drenagem das águas pluviais.

- A pobreza e a mortalidade infantil são conseqüências da falta de limpeza.

- A verminose, que atinge a classe mais pobre, advém da falta de saneamento básico, obrigação do Governo e Direito da população.

- No mundo 2,4 bilhões de pessoas ficam sem acesso ao saneamento básico em 2015.

- A situação é tão crítica, que, além de o Governo ter o dever de providenciar o saneamento básico para todos e a sustentabilidade ambiental, cada um de nós passa a ter também o DEVER de assumir a causa de proteger a nossa casa comum, zelando pela limpeza, encaminhando corretamente o lixo e denunciando os abusos das Empresas e das Comunidades irresponsáveis.

Todos somos humanos e responsáveis por cuidar de nossa casa comum!

 

OBJETIVO GERAL DA CF 2016

Assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA CF 2016

1 – Unir as igrejas, diferentes expressões religiosas e pessoas de boa vontade na promoção da justiça e do direito ao saneamento básico;

2 – Estimular o conhecimento da realidade local em relação aos serviços de saneamento básico;

3 – Incentivar o consumo responsável dos dons da natureza, principalmente da água;

4 – Apoiar e incentivar os municípios para que elaborem e executem o seu Plano de Saneamento Básico;

5 – Acompanhar a elaboração e a excussão dos Planos Municipais de Saneamento Básico;

6 – Desenvolver a consciência de que políticas públicas na área de saneamento básico apenas tomar-se-ão realidade pelo trabalho e esforço em conjunto;

7 – Denunciar a privatização dos serviços de saneamento básico, pois eles devem ser política pública como obrigação do Estado;

8 – Desenvolver a compreensão da relação entre ecumenismo, fidelidade à proposta cristã e envolvimento com as necessidades humanas básicas.

ALGUMAS PERGUNTAS PARA REFLEXÃO:

Em minha casa e em minha rua existem focos de mosquitos, de baratas e ratos?

Na minha rua: qual o horário de o caminhão recolher o lixo?

Eu recolho o lixo racionalmente: metal – papel – plástico – restos da cozinha e dos sanitários?

Posso dizer que eu estou colaborando, desconhecendo ou desprezando a questão do zelo pela nossa casa comum?

Sou daqueles que apenas culpa o Governo ou estou colaborando com o bem esta geral?

Lido com a natureza, responsabilizando-me pelo futuro dos netos e bisnetos?

 

Pe. Geraldo Ildeo Franco – 09/02/2016