QUERIGMA: PROCLAMAÇÃO DE UMA NOTÍCIA RÁPIDA E ESSENCIAL PARA O PÚBLICO

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

“IDE POR TODO MUNDO E EVANGELIZAI A TODOS OS POVOS”.

(Mateus29, 18ss)

- Querigma é a proclamação aos homens da salvação realizada por Jesus Cristo. Seu conteúdo essencial é a ressurreição de Jesus, causa – Rm 4,25 –e imagem da salvação proclamada -Rm 8,29. A pregação do querigma se confunde assim com o testemunho dos apóstolos proclamando a sua experiência de Jesus ressuscitado – Atos 1,22 e 3,15 e convidando os homens a reconhecer em Jesus aquele por Quem Deus salva a humanidade. Mas, o discurso querigmático vai desenvolver-se sempre mais: os pontos essenciais desse desenvolvimento aparecem constituindo o núcleo dos chamados “Sermões dos Atos”: esses discursos se atribuem: - a Pedro: 2,14-39; 3,12-26; 10,34-43 – a Estêvão: 7,1-54; - a Paulo: 13, 16-41; 17,22-31 etc.

TEMA CENTRAL DO QUERIGMA DOS APÓSTOLOS

- É chegado o tempo do cumprimento das Escrituras.

- Este tempo é marcado pela vinda à Judeia de Jesus que falou aos homens e os serviu.

- Jesus foi morto pelos judeus, mas o Senhor O ressuscitou.

- Sua volta gloriosa há de marcar o julgamento da humanidade.

- Todos são, portanto, convidados a crer nEle, a converter-se, a fim de escapar ao julgamento.

- Entre aqueles que já acolheram com fé a proclamação do querigma, a pregação do Evangelho se prolonga pelo ensino ou catequese. Mostram-se, então, todas as consequências do ato salvador de Jesus, bem como as exigências que daí decorrem para aqueles que creem em Cristo.

 

PARÓQUIA E INICIAÇÃO CRISTÃ CATECUMENAL.

Renovar a Paróquia e fazer mistagogia catecumenato.

Mistagogiaé a preparação e a inserção do candidato a ser cristão, em vista de uma vivência conforme o Evangelho na Igreja; uma formação para se receber os três primeiros sacramentos: Batismo, Eucaristia e Confirmação.

Hoje poucas famílias evangelizam, catequizam, nem fazem parte da pastoral. Nem 10% dos católicos participam do dízimo. A maioria não conhece nem quer conhecer nem muito menos aceita viver a dimensão missionária. Quando muito, procuram a paróquia para sacramentos como o Batismo, Casamento e Funeral. Grande parte das crianças não frequenta a catequese. Muitos dos que frequentam: eles se contentam em receber o sacramento pretendido. 

 Cabe à Paróquia estabelecer o catecumentato, a pregação, a evangelização e a catequese básica do querigma. A Paróquia ainda é procurada pelos fieis, por enquanto.... Somos agora OBRIGADOS a ir fora, buscar os fieis para nosso rebanho. Os animadores devem ser bem preparados doutrinalmente e serem pessoas convertidas a missionários convictos de Jesus na Igreja e fora dela. Como valorizar os paroquianos se eles se dizem sem tempo, viajam muito, não se interessam pelo assunto?

- A formação dos agentes de pastoral deve ser FIRME/CONTINUADA/ SEMPRE. Os fieis devem ser iluminados e purificados pela mistagogia, que é a iniciação à vida cristã, orante, espiritual, litúrgica, eclesial e paroquial. Se não forem encantados pelo Cristo e pela Igreja pouco adiantará convidar essa gente.

- O catecumentato constitui uma pedagogia privilegiada para iniciar na fé, mas não para nele. É algo em construção/consolidação e de renovação paroquial.

- A paróquia está sendo OBRIGADA a mudar seus métodos de evangelização e AMPLIAR sua ação anunciadora do Querigma.

- Somos exigidos e chamados a fazer e criar uma NOVA paróquia, dentro e fora de seu território. Devemos atingir escolas, clubes, comércio, Bancos, órgãos públicos, famílias afastadas, jovens descrentes, associação de moradores, políticos, varredores de rua, empregadas domésticas, empresários, meninos de rua, mães solteiras, viúvas. Se ficarmos aqui dentro criando normas e administrando sacramentos... estaremos preparando os funerais da Igreja que nasceu de Pentecostes, foi anunciada e expandida pelos apóstolos e enriquecida pelos grandes teólogos e santos.

A Diocese a paróquia estão preocupadas com e empenhadas na formação continuada das pastorais e coordenadores. Esta preocupação com a formação nasceu das assembleias: comunitárias, paroquiais, regional e diocesana.

 

Pe Geraldo  Ildeo Franco  - 26/04/2016