LUCAS EVANGELISTA: O GREGO CONVERTIDO

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

- O Evangelho de Lucas foi escrito para ensinar, instruir e chamar-nos a sermos “amigos de Deus”, carregando a Cruz em vista de um prêmio maior que é a Ressurreição. “Para melhor conheceres, Teófilo, (Amigo de Deus) a doutrina em que foste instruído” (Lucas 1,4).

- Lucas, pintor e muito instruído na cultura grega, foi evangelista, mas não Apóstolo; não conviveu com Jesus. Seu evangelho inicia-se com um prólogo, dirigindo-se a Teófilo, ligando-se a um outro livro que, certamente, é o dos Atos dos Apóstolos. Sem dúvida Teófilo é um nome genérico que se refere a qualquer pessoa que se diz amigo de Deus. Lembrando que Lucas chama os amigos do dinheiro, os Fariseus, de amigos do dinheiro (filargiros).

- Os dois livros (3º Evangelho e Atos dos Apóstolos) são do mesmo autor, (LUCAS) pela semelhança, pela continuidade do estilo literário e pelos seus objetivos propostos, sendo que o Evangelho conduz-nos a Jerusalém, onde se desenrolam os fatos decisivos para a salvação, tendo como protagonista o próprio Jesus.

- O livro de Atos conduz a Igreja de Jerusalém para Roma e de Roma para o mundo.

O livro de Atos mostra a expansão e as atividades iniciais da Igreja e de alguns apóstolos, especialmente Pedro e Paulo, entre duas perseguições, a dos Romanos e a dos Judeus.

- Lucas é um pagão convertido, (médico? – Cl 4,14). Foi companheiro de Paulo. Seu Evangelho tem 24 capítulos e 1151 versículos. Lucas escreveu em grego.

- Conforme Irineu, século II, Lucas é mesmo o autor deste Evangelho. Suas fontes principais foram o Evangelho de Marcos, tradições semíticas e a Koiné, linguagem popular grega. Ninguém sabe ao certo onde Lucas escreveu: Roma? Grécia? Acaia? Beócia? Antioquia da Síria?

 - Lucas escreveu para gentios de cultura grega, convertidos ao cristianismo, depois da ruína de Jerusalém (Lucas 19,43-44).

- As hipóteses sobre a data da elaboração do evangelho de Lucas variam entre os anos 70 e 80.

- O Evangelho de Lucas é como uma história sagrada. Narra fatos da vida de Jesus, enquanto passa a ter um significado para a fé em Cristo Ressuscitado e para a vida das comunidades.

- A expressão “o que aconteceu entre nós” (1,1) denota duplo interesse de Lucas: a vida pública de Jesus e a vida da Igreja. Usa a palavra CIDADE por 40 vezes, denotando que a evangelização deve atingir as cidades.

- Lucas prioriza a ação do Espírito Santo. Capítulo 4.

- Seu evangelho pode ser chamado o Evangelho da misericórdia: Lucas 10, o bom samaritano – 15: a moeda perdida, a ovelha desgarrada, o Pai misericordioso que acolhe o filho ingrato.

- Zaqueu se converte ao chamado de Jesus. A Lei mandava devolver 400% do roubo às vítimas de roubo. Zaqueu, além de devolver o quádruplo, ele se compromete em ajudar aos pobres.

- Jesus é amigo dos pobres: os pastores de Belém eram pobres, trabalhavam de madrugada. Foram os primeiros a visitar a gruta onde Jesus nascera.

- O Evangelho de Lucas é o que mais cita as mulheres como presença e colaboradoras da salvação com Cristo.

- Valoriza a oração: O publicano e o fariseu – capítulo 18. A mulher que insiste em falar com o juiz.

- Jesus nasceu em Belém, a casa do pão. Jesus é o Pão que veio do céu para nos alimentar.

- O capítulo 15 do Evangelho de Lucas, das parábolas da moeda, da ovelha e do filho pródigo, coincide como o capítulo 15 de Atos em que a Igreja assume a postura de não excluir a ninguém, vivendo o novo tempo da misericórdia de Jesus para todos os povos.

- Jesus trabalha com afinco com os discípulos, formando liderança. Ao entrar em Jerusalém apenas os discípulos acompanham a Jesus.

- Lucas tem vocabulário mais rico do que Marcos e Mateus. Valoriza mais o sentido do que a cronologia e localização (4,16-30; 10,13-15 – “O Espírito do Senhor está sobre mim...).

- O objetivo principal do evangelho de Lucas é proclamar a história de Jesus enquanto história da salvação. Com liberdade, Lucas decifra os acontecimentos e faz com que seus leitores percebam o sentido desses eventos.

- Lucas segue basicamente o esquema de Marcos. Mas acrescenta outros fatos relevantes: (6,20-8,3; 9,51-18,14), além da narração da infância, alguns milagres, parábolas e as intervenções de Herodes. Tem ainda pontos de contato com o Evangelho de João como: a pesca milagrosa e a vocação de Pedro (Lucas 5,1-11 e João 21,1-19); o tríplice reconhecimento da inocência de Jesus por Pilatos (Lucas 23, 4. 15. 22 e João 18, 38; 19,4-6).

- Costuma-se dizer que o Evangelho de Lucas é o Evangelho de Jesus até a Ressurreição. O livro dos Atos dos Apóstolos é o Evangelho da Igreja pós ressurreição, expandindo-se, anunciando Jesus ao mundo.

Ambos, o Evangelho e Atos se completam a serviço do anuncio de Jesus ao mundo, ofertando a Salvação a toda a humanidade.

 

Pe. Gildeo – fevereiro 2016