MIRIAN, O AMOR DE DEUS A NOS EVANGELIZAR!

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

MENSAGEM LIDA PELO PADRE GERALDO ILDEO FRANCO NA MISSA EM SUFRÁGIO DE MIRIAN D´ARC FRANCO

Nós nascemos para viver uma temporada de bem neste mundo e para amar. Quando nascemos, iniciamos um ciclo que deve terminar na eternidade, junto de Deus.

 Quando nascemos já começamos a morrer deste mundo limitado para nascer para a eternidade.

A vida é um precioso dom de Deus. É uma oportunidade para vivermos com dignidade, com ética, inteligência e liberdade.

 Nascemos para amar as pessoas e a Deus.  Cada um de nós recebe do Criador um tempo para passar por este mundo, construindo, edificando, aperfeiçoando-nos no amor.

Para podermos realizar o ciclo da vida planejada por Deus, devemos passar por três nascimentos, numa perspectiva do pequeno mundo para o mundo da eternidade.

A transição de um estágio menor para o maior sempre acontece com dor, emoção e sofrimento, em vista de um bem maior, de mais alegria e de se crescer para a grande liberdade e eternidade.

O primeiro nascimento acontece quando nós iniciamos a nossa geração até que nos desprendemos do útero materno. Dor, emoção e alegria se unem acolhendo o recém nascido. Saímos do escondido, do íntimo de nossa mãe, para podermos viver fisicamente no mundo. Nascemos para conviver, para agir, para construir e deixar nossa marca inteligente, humana e divina a serviço do bem comum.

O segundo nascimento consiste em crescer, ser adulto, formar uma família digna, agir, fazer, partilhar, conviver, construir, deixar a marca de humanidade na continuidade da criação de um mundo melhor. Esse é o propósito a ser vivido neste mundo material.

O terceiro nascimento é o definitivo e para sempre. Nascemos para a eternidade, para a suprema realização do ser humano que foi chamado para amar e ser enxertado na divindade da Santíssima Trindade.

A passagem para a eternidade é o final da carreira terrestre e da peregrinação neste mundo. Mesmo tendo fé em Jesus, sofre demasiadamente quem fica para trás.

Tendo cumprido o seu dever, os humanos partem para a vida onde não existe dor nem sofrimento. Na eternidade não existe lugar, tempo nem espaço. Existe amor, justiça, misericórdia e total felicidade.

 A transição para a eternidade é dolorosa e definitiva, para sempre. Aos que não crêem, causa dúvidas, sofrimento e sentimento de vazio no ser humano. Os que restam, vão peregrinando nesta terra esperando a sua vez. Apesar de sofrerem, os que têm fé em Cristo ressuscitado, têm esperança e o consolo da recompensa eterna.

Crendo ou não num Ser superior, frequentando ou não alguma religião, justificando-se ou querendo desconhecer a realidade, todos nós deveremos prestar contas ao Criador pela qualidade de vida que edificamos aqui neste mundo.

A pessoa humana só é feliz nos caminhos do amor, da partilha, da fraternidade. Pecado, guerra, violência, corrupção, calúnia, presunção de julgar as outras pessoas destroem e enganam; não trazem felicidade além de nos desviar do caminho da verdade.

Só os dignos e justos, misericordiosos e amantes da verdade, poderão gozar da verdadeira felicidade.

Vive feliz somente quem amar e viver a misericórdia. Posses, dinheiro, cargos, prazeres, gostam de nos enganar e não levam a nada.

A oportunidade que recebemos para viver bem neste mundo é breve e curta. Não compensa sujar-nos com o pecado, com a maledicência, com ciúme e inveja. Pecar é perder a felicidade aqui e a salvação eterna.

Além de sermos humanos, somos cristãos, batizados, consagrados, crismados, alimentados pela Eucaristia e membros da Igreja, a morada de Deus neste mundo.  Somos participantes do sacerdócio, do profetismo de Cristo e da construção do Reino de Deus

A Mírian Darc viveu transmitindo paz entre nós. O resumo de sua vida pode ser este: nasceu para viver a verdadeira felicidade. Ela foi para nós sorriso, companheira, acolhimento, calma e alegria.

Ela demonstrava continuamente estar caminhando entre as coisas que passam, em direção às que são definitivas e eternas. Passou por este mundo, mas não é deste mundo. É para a divindade e para a eterna felicidade que viveu.

Muitas pessoas vivem entre nós, e, morrendo, são logo esquecidas.

A Mírian não tem como ser esquecida. Está plantada em nossos corações. Era e é encantadora. Mírian é gente grande. É completa. É filha, irmã, esposa, mãe, avó e sogra amiga. Professora e contadora, ela tem as mãos divinas para evangelizar com suas centenas de quadros de pintura.

Seus trabalhos de arte estão em muitas famílias, escolas, empresas, paróquias, no Brasil e no Exterior: Paróquia São Francisco de Melo Viana, Bom Retiro, Cariru, Vila Ipanema e a grande obra em estilo cubista no templo do Bela Vista.

Como nos esquecer de Mírian?

Como deixar morrer seus valores morais, por sua persistência em ser luz de amor e de bondade entre nós?

Se nós observamos bem, as obras de arte de Mirian, todas elas, querem nos catequizar transmitido vida, amor à Virgem Maria, a Jesus Eucarístico e à igreja. Seus trabalhos engrandecem e dignificam os valores da família.

Ela se foi, mas continua a nos evangelizar. Seu modo de viver e de servir continua nos fortalecendo em nossa caminhada terrestre rumo à eternidade.

Pelas suas obras de arte sacra e por tudo o que nos deixou de amor, somos convidados a preservar seus valores e a nos comprometer em viver com dignidade, em dedicação à família, à Igreja servindo e partilhando seus dons.

 Ela sempre será uma obra prima de Deus para todos nós, conforme o Éder me escreveu. Sua arte é viva por que nos aproxima das coisas celestiais.

Ela partiu para os ceus, sem dar trabalho para ninguém. A Virgem Maria veio buscar a Mirian em sua casa no silêncio da noite.

Por isso, mesmo chorando, com muita saudade, assustados por Mirian ter ressuscitado tão inesperadamente e ido para mais junto de Deus, nós, ajoelhados agradecemos aos ceus por no-la ter concedido por alguns anos.

Ela continua a viver conosco e a sorrir para cada um de nós.

Mirian não é só família, igreja, Araújo, Oliveira ou Franco. Ela participa agora da gloria de toda a humanidade, da Ressurreição de Cristo, irradiando para todo o mundo a paz duradoura e a felicidade definitiva.

 Para a Mírian os nossos parabéns!

 

Ipatinga, Paróquia Sagrado Coração de Jesus.

Pe. Geraldo Ildeo Franco – 31/07/2016https://snt149.mail.live.com/ol/clear.gif