Coordenar, uma importante ação Pastoral

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

"Cristo constituiu uns a serem apóstolos, outros profetas, outros evangelistas, e outros como pastores e mestres, para o desempenho da tarefa que visa a construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus"(Ef 4,11 -13).

Uma importante missão na ação pastoral é o serviço da missão de coordenar: é um ministério, em vista da realização do Projeto de Deus, a serviço do Reino.

É importante que o coordenador procure formar sempre uma equipe de coordenação; nunca coordenar sozinho. Assim poderá caminhar nos 3 processos:

Animação - A coordenação é um instrumento de animação que cria condições para que todos participem do trabalho com suas esperan­ças, alegrias e lutas. Animar é gerar a vida. É gerar o sopro e a presença vivificadora de Deus. Animar é incentivar a vida, ajudar a recriá-la. É mais profundo do que apenas movimenta-la.

Comunhão e participação- A coordenação tem como missão conduzir o processo de comunhão entre as pessoas, despertando em todas elas, cada vez mais, o acolhimento ao outro. 0 coordenador não é "quebra galho". É uma pessoa e não um instrumento de trabalho. Por isso devemos incentivar o crescimento da amizade entre os grupos e deles com a equipe de coordenação.

Mobilização - a coordenação leva o grupo a alcançar um objetivo. Isto exige:

Organização elabora o planejamento participativo com avaliações periódicas, não cabe à coordenação a função de bom­beiro; deve planejar e avaliar as atividades, ao invés de ficar apagando o fogo a cada momento;

Articulação a coordenação articula a formação e supervisão de pe­quenas equipes, na linha da responsabilidade;

Interação procura manter o bom relacionamento entre as pesso­as para ajuda mútua.

Um bom coordenador precisa:

1. Ter visão do objetivo do grupo: Ter clareza da linha de trabalho paroquial, com visão de paróquia como um todo, para saber em que direção deve caminhar.

2. Entender de metodologia: Ajudar o grupo descobrir pistas concre­tas para atingir os objetivos previstos. Não é imediatista. É pacien­te e entende que o processo de reflexão/ação, teoria/práxis é um processo lento.

3. Saber conduzir uma reunião: 0 coordenador deve cuidar para que o grupo não se desvie do tema da reunião, para não desperdiçar tempo. Ele/ela procura tirar as ideias dos participantes, levando- -os a descobrir os melhores caminhos e a tirar suas próprias con­clusões. 0 coordenador deve também usar dinâmicas variadas.

4. Ser bom cobrador: Uma das principais funções do coordenador é a de cobrar funções e ações decididas pelo grupo e não fazer as coisas que os outros podem fazer. A cobrança desperta o senso de responsabilidade e valoriza os passos dados.

5. Saber controlar o tempo: 0 coordenador cronometra antes, as di­ferentes partes da reunião e procura seguir à risca essa divisão do tempo. 0 tempo deve ser prorrogado só quando o grupo todo pe­dir. 0 coordenador deve dar exemplo de pontualidade. A reunião deve começar na hora marcada, mesmo com a presença de dois ou três membros.

6. Ter boa capacidade de organização: 0 coordenador nunca traba­lha sozinho. As decisões são tomadas em conjunto, as funções são distribuídas e cobradas. A avaliação deve ser preparada, para que se possa chegar a decisões concretas.

7. Saber despertar novas lideranças: 0 coordenador precisa desen­volver a capacidade de perceber os diferentes talentos dos mem­bros do grupo e colocá-los em situações onde possa desenvolver seus talentos e, assim despertar novas lideranças.

8. Dar testemunho de vida coerente: Ele arrasta os outros mais pelo exemplo de vida que pelos conhecimentos teóricos, não aceitan­do o ditado popular: "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". Trata-se de alguém que entende que a preparação mais importante para coordenar um grupo deve acontecer dentro dele mesmo.

9. Ter empatia (É se colocar no lugar do outro para saber o que o ou­tro está sentindo): Deve sentir quando alguns estão sendo deixa­dos de lado e não estão participando. As pessoas vão se interessar pelo grupo na medida em que participarem e se sentirem valo­rizadas. Os bate-papos antes da reunião são muito importantes. Quando o coordenador quer bem ao grupo e se interessa por ele, o grupo caminha.

10. Ser entusiasmado: 0 coordenador deve ser uma pessoa anima­da para que o grupo também entusiasme. O entusiasmo é como uma doença contagiosa. Quem entra em contato com ele, pega. 0 contrário também é verdade. Um coordenador desanimado e negativo é como um coveiro cavando a cova para o grupo.

Fonte: Madurga, Joaquin. Celebrar a Salvação, Iniciação à liturgia. Editora Paulus. São Paulo, 1999. 2ª  Edição.