O PROFETISMO BÍBLICO

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

O Profetismo constitui-se no tempo em que apareceram os profetas no Antigo Testamento. Profetas são pessoas autênticas, justas e corajosas que falam as verdades, denunciam os erros das autoridades e do povo e anunciam uma aurora de salvação “em nome de Deus”.

Os profetas surgiram especialmente no Antigo Testamento, antes de Cristo, no tempo da Monarquia, quando a corrupção era gritante e exigia uma denúncia clara em nome da verdade de Deus e não da verdade dos falsos profetas e dos reis corruptos. Todos os profetas foram perseguidos e até mortos pelas pessoas denunciadas. Eles são admirados pelos pobres. Não são mágicos e adivinhos. Eles preservam a Tradição sadia do seu povo, conforme a Aliança de Javé e não conforme os interesses espúrios dos que oprimiam os pobres.

O núcleo central da Tradição israelita é a fé exodal, o reencontro com o verdadeiro Deus revelado a Moisés: “Eu sou Javé seu Deus, que fiz você sair do Egito, da casa da escravidão – Êxodo 2,2 e Deuteronômio 5,6”.

O profeta inspira-se na ação libertadora do Deus do Êxodo e, a partir daí, analisa a situação presente e mostra o projeto de Deus para o seu povo que é a libertação, a felicidade e a salvação completa.

 Os reis corruptos pagavam a falsos profetas para enganar o povo com notícias mentirosas.

O profeta tem seu estilo próprio e depende de sua época e dos fatos históricos que estejam acontecendo em seus dias.

Há duas vertentes em que os profetas se afirmam como a “voz de Deus”.

- Exigência de conversão para mudar o sistema social, a fim de que o julgamento de Deus não recaia sobre o povo, especialmente antes do Exílio dos judeus para a Babilônia – 586 antes de Cristo.

- Anúncio de esperança para encorajar e estimular o povo, que tinha perdido a sua terra e corria o risco de perder sua própria identidade. Ajudava o povo a retomar a caminhada da reconstrução, recuperando a fé em javé e os valores dessa mesma fé.

Os 18 livros dos profetas da Bíblia testemunham a vida e a atividade de homens que possuem fé profunda e vigorosa; homens que procuram levar o povo a um relacionamento sempre renovado e responsável com o Deus que julga e salva.

Há três tipos de profetas:

Os profetas que não deixaram nada escrito: Elias, Eliseu, Jonathan, João Batista e Jesus.

Os que escreveram pouco: Miqueias, Jonas, Abdias, Sofonias, Habacuque.

Os que escreveram mais: Isaías, Jeremias, Daniel e Ezequiel.

Os profetas dos dias atuais: Dom Hélder Câmara, Oscar Romero, Dom Paulo Evaristo Arns, Martin Lute king, Mahatma Gandhi, Papa Francisco.

 

Observação: hoje, mais que nunca precisamos de mais e fortes profetas. A corrupção política, religiosa e social clama aos céus por justiça e honestidade.

Faltam hoje mais profetas que falem a verdade de Deus e não do capitalismo ou da moda!

 

Pe Geraldo lldeo Franco - setembro 2016