Santa Teresa de Ávila       

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Santa Teresa de Ávila, (de Jesus) foi uma freira carmelita, mística e santa católica do século XVI, importante ainda por suas obras escritas. Ela está sepultada na  Basílica de Santa Teresa, Alba de Tormes, Espanha. Seu pai, Alonso Sánchez de Cepeda, comprou um título de cavaleiro e conseguiu com sucesso ser assimilado pela sociedade católica. A mãe de Teresa, Beatriz de Ahumada y Cuevas, era especialmente dedicada à missão de criar a filha como uma piedosa cristã, católica e devota da Virgem Maria.

Teresa era assídua leitora de ficções populares, apesar de demonstrar certa vaidade pessoal. Entrou para o convento agostiniano de Nossa Senhora da Graça, sendo atingida pela malária. Aprofundou-se na espiritualidade com instruções para exames de consciência, para auto concentração espiritual e contemplação interior (técnicas conhecidas no jargão místico como oratio recollectionis ou oratio mentalis). Teresa também fazia uso de outras obras ascetas como o Tractatus de oratione et meditatione de São Pedro de Alcântara.

 Santo Inácio de Loyola baseou seus "Exercícios Espirituais" e possivelmente os próprios "Exercícios" na proposta mística de Teresa.

 Teresa seguiu as instruções da obra e começou a praticar a oração mental.

O padre jesuíta Francisco de Borja, confessor de Teresa, orientou-a e reconheceu seus pensamentos como provindos da divina inspiração.

No dia de São Pedro - 1559 -Teresa se convenceu firmemente de que Jesus Cristo teria aparecido para ela de corpo presente. As visões continuaram por mais de dois anos ininterruptos e, numa delas, um serafim trespassou repetidamente seu coração com a ponta inflamada de uma lança dourada provocando nela uma inefável dor espiritual e corporal:

Em uma das visões Teresa afirma o seguinte: “Eu vi em sua mão uma longa lança de ouro e, na ponta, uma pequena chama. Ele me parecia estar lançando-a por vezes no meu coração e perfurando minhas entranhas; quando ele a puxava de volta, parecia levá-las junto também, deixando-me inflamada com um grande amor de Deus. A dor era tão grande que me fazia gemer; e, apesar de ser tão avassaladora a doçura desta dor excessiva, não conseguia desejar que ela acabasse...”

Esta visão foi a inspiração de uma das mais famosas obras de Bernini, com a escultura "O Êxtase de Santa Teresa", que está na Igreja de Santa Maria della Vittoria, em Roma. A memória deste episódio serviu de inspiração pelo resto da vida de Teresa e motivou sua perene disposição de imitar a vida e os sofrimentos de Jesus,sintetizada nesta expressão:  "Senhor, ou me deixe sofrer ou me deixe morrer".

Os profundos êxtases de Santa Teresa são descritos em detalhes em suas obras e inspiraram diversos outros religiosos, principalmente São João da Cruz.

Teresa de Ávila – Espanha

”Teresa de Ávila entrou para o Convento Carmelita da Encarnação em Ávila em 2 de novembro de 1535. Não concordava com os males que assolavam o mosteiro. Entre as 150 freiras que viviam ali, a observância do enclausuramento - projetado para reforçar o espírito e a prática da oração - tornou-se relaxada. Não mais cumpria seu objetivo. A invasão diária de visitantes mundanos viciou a atmosfera do local com preocupações frívolas e conversas tolas. Teresa criticou os desmandos do mosteiro. Baseou suas críticas em grandes santos penitentes como Agostinho e Maria Madalena. Leu as "Confissões" de Santo Agostinho. “Senti que Santa Maria Madalena vinha em meu socorro”... e, desde então, muito progredi na vida espiritual".

Teresa sentia-se muito atraída pelas imagens de Cristo ensanguentado em agonia. Certa ocasião, ao deter-se sob um crucifixo muito ensanguentado, perguntou: "Senhor, quem vos colocou aí? "Pareceu-lhe ouvir uma voz: "Foram tuas conversas no parlatório que me puseram aqui, Teresa". Ela chorou muito e, a partir de então, não voltou a perder tempo com conversas inúteis e nas amizades que não a levavam à santidade. Teresa, então, começou a planejar ações para reverter a situação.

O padre franciscano São Pedro de Alcântara, - 1560 - incentivou-a para expressar publicamente suas motivações interiores. Ele tornou-se seu diretor espiritual e mentor.

Guimara de Ulloa, uma amiga muito rica financiou a empreitada da edição das experiências de Teresa, dando condições para se fundar um Carmelo reformado, corrigindo o relaxamento encontrado no claustro do Carmelo da Encarnação e em outros.

A pobreza extrema do Convento de São José, fundado em 1562, escandalizou inicialmente os habitantes e as autoridades de Ávila, o que colocou o pequeno Carmelo e sua capela sob o risco de ser extinto. Contudo, poderosos patrocinadores, incluindo São Luís Beltrán e o próprio bispo de Ávila, e a garantia de uma subsistência assegurada e prosperidade potencial logo transformaram animosidade em aplausos.

É assim mesmo que acontece com as palavras e as ações dos Santos e dos Profetas que evangelizam. Incomodam e agridem aos “folgados” e opressores. Por isso, não podemos deixar de semear a Palavra de Deus, especialmente quando elas nos convidam à conversão a Jesus e incomodam aos que praticam a injustiça.

 

Observação:

A vida de muitos santos é cheia de revelações divinas, visões, êxtases e encontros com o Senhor Jesus. Respeitamos as narrações dos santos e místicos. As visões dos santos nos convidam a viver o Evangelho, a oração e as boas obras. Não as negamos. Entretanto, nenhum católico é obrigado a crer totalmente nessas visões, dado que não são tidas como DOGMAS, mas manifestações que os Santos sentiram e perceberam como reais e reveladoras da vontade de Deus. Apesar disso, os Santos não contrariam os ensinamentos da Bíblia nem a Doutrina de teologia católica.

 

Pe. Geraldo Ildeo Franco – outubro 2016