EPIFANIA DO SENHOR

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

OS TRÊS REIS MAGOS

O texto bíblico de Mateus  - 2,1-12 – narra que alguns magos vieram do Oriente a Jerusalém procurando pelo Rei dos Judeus que nascera em Belém de Judá. Mateus não fala que eram tres nem reis. Diz apenas: MAGOS. Entretanto, o povo foi imaginando e criando com devoção e tradição os “tres reis magos”. Chegaram a dar nomes aos supostos reis: Baltazar, Belchior e Gaspar.

As reliquias dos Magos estão guardadas em uma Igreja de Colônia na Alemanha.

Seja como for, os Magos reconheceram no Menino que nascera na mangedoura uma manifestação (Teofania) da presença de Deus. Ofereceram-lhe ouro, incenso e mirra, simbolizando respectivamente que o Menino Jesus é Rei,   é Deus e que iria padecer na Cruz, derramando seu sangue e salvando a humanidade do pecado.

A FESTA DA EPIFANIA

A  palavra Epifania (do gregoἘπιφάνεια) significa a manifestação de um fenomeno religioso/miraculoso").

O termo Teofania (do grego: Θεοφάνια) significa uma manifestação de Deus. Jesus é uma Teofania, ou seja, uma manifestação de Deus entre entre nós como um Deus encarnado.

 IGREJA OCIDENTAL E EPIFANIA

No cristianismo ocidental – Roma -  a festa da Epifania lembra primariamente a visita ao Menino Deus pelos Três Reis Magos.

 Na Igreja Oriental Ortodoxa lembra o batismo de Jesus. 

A data tradicional da Epifania é  6 de janeiro.

 Em 1969 a Igreja Latina transferiu a festa para o domingo posterior ao dia 06 de janeiro. A Igreja Ortodoxa   Oriental, transferiu a festa  para o dia 19 de janeiro.

A Epifania celebra a manifestação de Jesus Cristo como o enviado de Deus, o filho do Criador. Jesus deu-se a conhecer a diferentes pessoas e em diferentes momentos.

TRÊS MANIFESTAÇÕES DE JESUS

· A Epifania, a manifestação perante os magos do Oriente -   Mateus 2, 1-12. A celebração acontece no dia 06 de janeiro.

· A Epifania durante o Batismo de Jesus, por  João Batista, no rio Jordão – Mateus 3,13-17.

· A Epifania a seus discípulos e início de sua vida pública com o milagre de Caná, quando começa o seu ministério – João 2, 1-13.

IGREJA ORIENTAL E A  EPIFANIA

Na Igreja Ortodoxa Oriental, a Teofania comemora o batismo de Jesus.

No Batismo de Jesus a Santíssima Trindade se manifesta: “... Logo que Jesus foi batizado, os ceus se abriram e o Espírito Santo desceu sobre Ele  como uma pomba. Uma voz do ceu proclamou: Este é o meu Filho amado, no qual coloquei a minha complacência”.

 O Batismo de Jesus é celebrado com um Ofício de vigília na noite anterior ao dia 06 de janeiro. A Divina Liturgia de São Basílio celebra o Batismo de Jesus na manhã de 6 de janeiro.

Uma característica marcante desta festa é a bênção das águas, que pode ocorrer tanto na liturgia festiva quanto na vigília, ou mesmo em ambas.

Na Igreja Copta, a Teofania também tem como evento central o batismo, e os fiéis se preparam para a festa com o Paramon (do grego "preparação extraordinária"), um jejum restrito no dia anterior (ou na sexta-feira anterior, caso a festa caia em uma segunda-feira ou domingo).

A ORIGEM DAS FESTAS RELIGIOSAS CRISTÃS

As festas religiosas cristãs-católicas nascem das Sagradas Escrituras e das Tradições dos povos seguidores de Jesus. O mundo cristão abrange todo o Universo. Não podemos desconhecer as diversas e ricas culturas dos povos.

O Oriente tem valores e tradições enriquecidas pelo seu estilo de vida e de sua cosmovisão. Igualmente no  Ocidente, desde o Império Romano até os dias modernos, são inúmeras as Tradições.

Não se trata de negar, criticar ou de querer igualar o Oriente e o Ocidente. O melhor mesmo é que se tenha e se respeite  a liberdade de expressão dos diversos tipos de vida e de visão sobre Deus e o poder  expressar a própria realidade histórica e cultural.

No Brasil, especialmente em Minas Gerais, há  uma variedade imensa de expressões culturais  e religiosas sobre a mesma Festa dos Reis Magos. Elas nos encantam: música, dança, vestimentas, procissões,  e celebrações com tanta riqueza de literatura que nos fazem seus admiradores para apreciar a criatividade do povo sábio em seu viver e em suas expresões de religiosidade.

Os Magos ofereceram a Jesus Ouro, Incenso e Mirra. Trouxeram de longe caros e preciosos dons para homenagear, reconhecer e adorar o Menino Deus.

Pergunta-se: “ o quê podemos oferecer a Jesus hoje? Lembrando que, quando acolhemos os mais pobres, estamos ACOLHENDO o mesmo Jesus: “... Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber, estava nu e me vestiste... “ – Mateus 25.

OS REIS MAGOS

Os Magos eram astrônomos, estudiosos, pagãos, que reconheceram no Menino da Manjedoura, Jesus, o Messias anunciado pelos Profetas. Esses visitantes foram até Herodes que ficou assustado com a notícia do nascimento do Menino, Rei dos Judeus. Quis conseguir informações dos Magos, para poder também visitar e matar o Menino Deus. Herodes disse aos Magos que queria visitar o Menino e adorá-lo. Pura mentira. O objetivo de Herodes era mesmo eliminar o Filho de Deus. Mas os Magos não lhe deram atenção e retornaram por OUTRO caminho, evitando encontrar-se com o Poderoso Herodes que tremeu de medo com a notícia do nascimento do Menino Deus.

O SANTUÁRIO DE COLÔNIA

 O Papa Francisco nomeou o Arcebispo de Milão (Itália), Cardeal Ângelo Scola, como seu enviado especial na comemoração do 850º aniversário do traslado das relíquias dos Reis Magos de Milão (Itália) a Colônia (Alemanha). Esta comemoração aconteceu em 28 de setembro de 2014.

A mãe do imperador Constantino, Santa Elena, encontrou as relíquias dos Reis Magos na cidade de Sabá e as transladou até a capital do Império Romano, Constantinopla, hoje Istambul.

 No século VI, São Eustorgio Bispo de Milão, viajou a Constantinopla para que o imperador aceitasse a sua nomeação episcopal e este lhe deu de presente as relíquias dos três Reis que retornaram com ele à cidade italiana.

Quando o imperador Barbarossa sitiou Milão, o Arcebispo de Colônia Rainald von Dassel descobriu que uma igreja milanesa custodiava as relíquias em algum Convento.

A abadessa do Convento, onde se encontravam as relíquias dos Magos, deu as relíquias a Von Dassel em troca de proteger a vida de seu irmão da fúria do imperador.

O Santuário dos Magos do Oriente na Catedral de Colônia é o maior e mais rico relicário da Idade Média.

As relíquias foram transladadas de Milão a Colônia em 1164. Desde 1190 a 1220 (30 anos) um grupo de artesãos trabalhou no santuário, no atelier do ourives Nicolás Verdún.

O santuário teve que ser reduzido depois de ter devido ser escondido das tropas revolucionárias francesas em 1974, mas depois foi restaurado entre 1961 e 1973.

A piedade popular há quase 1000 anos presta homenagens e reverência às relíquias (autênticas ou não) dos Magos que vieram do Oriente, para adorar Jesus, guiados pela Estrela de Belém.

Hoje o Santuário de Colônia, onde estão as supostas relíquias dos Reis Magos, é visitado por peregrinos do mundo inteiro.

Os Magos, pagãos, visitaram e adoraram o Menino Deus. Ofereceram-lhe presentes caros: ouro, incenso e mirra.

O que nós podemos oferecer a Jesus?