O DOGMA DA IMACULADA CONCEIÇÃO

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Os Dogmas são as verdades fundamentais das religiões. A Igreja Católica tem um conjunto de Dogmas que fundamentam a fé dos seus filhos.

O Dogma é baseado na Bíblia, na Tradição da Igreja, na teologia católica, nas devoções do povo de Deus, aprovada e proclamada ao mundo pelo Papa unido aos bispos e teólogos.

Um dos dogmas da Igreja Católica é o da Imaculada Conceição  de Maria, mãe de Jesus. A concepção da Virgem Maria aconteceu sem a mancha (em latim, macula) do pecado original. Desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada por Deus de qualquer pecado. Tornou-se a cheia da graça santificante. Ela foi agraciada pelo não pecado que aflige a humanidade, porque ela estava cheia de graça divina.

Para ser a mãe de Jesus, o Salvador, Deus capacitou e santificou a Virgem Maria que, fazendo-se serva do Senhor e fazendo a Sua vontade, viveu uma vida completamente livre de pecado.

Bem antes da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, já se festejava a Imaculada Conceição. A festa era já era celebrada no dia 8 de dezembro. Foi definida como uma festa universal em 28 de Fevereiro de 1476 pelo Papa Sisto IV.

A Igreja sempre considerou Maria, mãe de Jesus, uma pessoa cheia de Graça e santificada por Deus, além de ela ter dado seu SIM total para se fazer serva do Senhor e para fazer a vontade de Deus. Para poder gerar o Verbo Eterno, era necessário que Maria, ficasse livre de todo o pecado e fosse totalmente santificada por Deus, desde toda a eternidade.

O Dogma foi proclamado solenemente pela  Constituição Apostólica Ineffabilis Deus - (8 de dezembro de 1854). O Papa declarou oficial e solenemente para toda a Igreja a Imaculada Conceição como Dogma de fé.

 O Papa Pio IX baseou-se em Gênesis 3,15, onde Deus disse: "Eu Porei inimizade entre ti e a mulher, entre sua descendência e a dela". Segundo esta profecia, seria necessário uma mulher sem pecado, pura, santa, para dar à luz o Cristo, que reconciliaria o homem com Deus.

Há ainda muitos outros textos bíblicos para fundamentar o sentido do Dogma da Imaculada Conceição como:

- "Tu és toda formosa, meu amor, não há mancha em ti": "Tota pulchra es, amica mea, et macula non est in te", no livro do Cântico dos Cânticos (4,7)

- "Também farão uma arca de madeira incorruptível; o seu comprimento será de dois côvados* e meio, e a sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura." (Êxodo 25,10-11).

*Côvado: (mais ou menos 45 cm) medida antiga, usada pelos babilônios, egípcios e hebreus.  Era baseado no comprimento do antebraço, da ponta do dedo médio até o cotovelo.

- "Assim, fiz uma arca de madeira incorruptível, e alisei duas tábuas de pedra, como as primeiras; e subi ao monte com as duas tábuas na minha mão." (Deuteronômio 10,3).

- "Pode o puro, o santíssimo, Jesus, provir de um ser impuro? Jamais!" (João 14,4).

Maria é considerada a Arca da Nova da Aliança (Apocalipse 1,19) e, portanto, a Nova Arca igualmente "incorruptível" ou "imaculada".

A IGREJA SEMPRE VENEROU A IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA

- A festa e as manifestações de devoção pela Imaculada Conceição são anteriores à proclamação do dogma no século XIX.

- No Oriente e no Ocidente, data dos primórdios da Igreja a ideia e a devoção à Imaculada Conceição.

- No século IV, Efrém da Síria (306-373), diácono, teólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria são limpos e puros de toda a mancha do pecado.

- No século VIII se celebrava a festa litúrgica da Conceição de Maria aos 8 de dezembro ou nove meses antes da festa de sua natividade, comemorada no dia 8 de setembro.

- No século X, a Grã-Bretanha já celebrava a Imaculada Conceição de Maria.

- A festa da Imaculada Conceição de 8 de dezembro foi definida em 28 de Fevereiro 1476 pelo Papa Sisto IV.

- Em 1497, a Universidade de Paris de (posteriormente Coimbra e de  Évora) decretou que ninguém poderia ser admitido na instituição se não defendesse a Imaculada Concepção de Maria.

- Em1617, o Papa Paulo V proibiu que se afirmasse que Maria tivesse nascido com o pecado original.

- Em 1622 Gregório V impôs silêncio absoluto aos que se opunham à doutrina.

- Em 8 de Dezembro de 1661  Alexandre VII promulgou a Constituição apostólica Sollicitudo omnium Ecclesiarum , definindo o sentido da palavra conceptio, e proibindo qualquer discussão sobre o assunto.

- Na Itália do século XV, o franciscano Bernardino de Bustis escreveu o Ofício da Imaculada Conceição, com aprovação oficial do texto pelo Papa Inocêncio XI em 1678.

 - O Ofício da Virgem Maria foi enriquecido pelo Papa Pio IX em 31 de março de 1876, após a definição do dogma com 300 dias de indulgência cada vez que recitado.

TEÓLOGOS E A IMACULADA CONCEIÇÃO

- Teólogos e Doutores da Igreja, como Santo Anselmo, Santo Tomás, São Bernardo e São Boaventura, nunca negaram a Imaculada Conceição.

- Para Tomás a Virgem foi, pela graça, imunizada contra o pecado original. Defendeu claramente o dogma do privilégio mariano, que seria declarado e definido séculos mais tarde.

Nos comentários dos livros das Sentenças, escrito provavelmente em 1252, Santo Tomás, aos 27 anos de idade, no início de sua atividade acadêmica em Paris, escreveu o seguinte: "...consegue-se a pureza pelo afastamento do contrário: por isso, pode haver alguma criatura que, entre as realidades criadas, nenhuma seja mais pura do que ela, se não houver nela nenhum contágio do pecado; e tal foi a pureza da Virgem Santa, que foi imune do pecado original e do atual." (I Sent., d. 44, q. 1, a. 3)

- No Compêndio de Teologia, aos 42 anos de idade, ano 1267, Tomás afirma o seguinte:

"Como se verificou anteriormente, a Beata Virgem Maria tornou-se Mãe de Deus concebendo do Espírito Santo. Para corresponder à dignidade de um Filho tão excelso, convinha que ela também fosse purificada de modo extremo. Por isso, deve-se crer que ela foi imune de toda nódoa de pecado atual, não somente de pecado mortal, bem como de venial, graça jamais concedida a nenhum outro santo abaixo de Cristo... Ela não foi imune apenas de pecado atual, como também, por privilégio especial, foi purificada do pecado original. Convinha ser ela concebida sem pecado original, porque foi concebida por obra do Divino Espírito Santo." (CTh. c. 224)

No ano de 1273 Santo Tomás, na sua Expositio super Salutatione angelicae, se expressa assim:

“Ipsa enim puríssima fuit et quantum ad culpam, quia ipsa virgo nec originale, nec mortale nec veniale peccatum incurrit”. ("Ela é, pois, puríssima também quanto à culpa, pois nunca incorreu em nenhum pecado, nem original, nem mortal ou venial").

Assim Tomás comenta Na Postiila Super Psalmos de 1273, Salmo 16, 2: "Em Cristo a Bem-Aventurada Virgem Maria não incorreu absolutamente em nenhuma mancha” ou no Salmo 18, 6: “Que não teve nenhuma obscuridade de pecado".

DOGMA DA IMACULADA CONCEIÇÃO

Pio IX, na Bula Ineffabilis Deus, proclamou o dogma da Imaculada Conceição de Maria no dia 8 de dezembro de 1854: Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original. Essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis.

EM LOURDES - FRANÇA

Em 1858, Bernadete Soubirous afirmou ter tido uma aparição da "Imaculada Conceição" na localidade de Lourdes, na diocese de Tarbes, na França.

Depois de muitas pesquisas o bispo de Tarbes deu por confirmadas as aparições como sendo da Virgem Maria.

 Lourdes se transformou num lugar de peregrinação internacional de milhões de católicos devotos da Virgem Maria.

PAPA BENTO XVI

No dia 8 de dezembro de 2007, o papa Bento XVI, comentou que, na festa solene da Imaculada Conceição, se recorda que "o mistério da graça de Deus envolveu desde o primeiro instante de sua existência a criatura destinada a converter-se na Mãe do Redentor, preservando-a do contágio com o pecado original. Ao contemplá-la, reconhecemos a altura e a beleza do projeto de Deus para cada ser humano: chegar a ser santos e imaculados no amor (Efésios 1, 4), a imagem de nosso Criador."

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO  - IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA

O dia 8 de dezembro é marcado por duas celebrações cristãs de significados distintos (quase antagónicos), que se confundem devido à semelhança das suas designações.

A evocação popular e tradicional celebra a Nossa Senhora da Conceição (ou Concepção), isto é, celebra o arquétipo da Maternidade. Conhecem-se desde o século VII, nomeadamente na Península Ibérica, festas com esta evocação; até a poucos anos era nesta data, e não no primeiro domingo de Maio, que se celebrava o Dia da Mãe.