Os Evangelhos de Jesus Cristo

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Os Evangelhos foram escritos não apenas com a intenção de narrar a história da vida de Jesus de Nazaré. Não são neutros, imparciais como um documento histórico. Não priorizam fatos da vida humana do Nazareno: aspecto físico, roupas, alimentação, sua formação e educação.

O objetivo central dos Evangelhos é mostrar que Jesus é o Messias, o Ungido de Deus, o Esperado de Israel, que por nós morreu e ressuscitou. Ensinam que vai se salvar todo aquele que crer no seu nome, receber o Batismo, ser membro ativo daComunidade de Jesus (a Igreja); alimentar-se da Eucaristia, crer na vida eterna e criar o Reino de Deus baseado na justiça e na misericórdia.

O público alvo dos Evangelhos são os fieis para se apaixonarem pelo Cristo. Os Evangelhos são relatos escritos por cristãos e para cristãos ou não que acreditavam em Jesus. Queriam que as pessoas, lendo esses relatos, tivessem fé no Senhor. Esse propósitoé claro no final do Evangelho de João: “Jesus fez, diante de seus discípulos, muitos outros sinais ainda, que não se acham escritos neste livro. Esses, porém, foram escritos para crerdes que Jesus é o Cristo (= o Messias), o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome” (João 20,30-31).

Não tem sentido perguntar o que Jesus fez entre os doze e os trinta anos: Como era a sua vida de família? Qual era o seu aspecto físico? Como foi que Maria conheceu e casou com José? – os evangelhos nem de longe se preocupam com isso.

Os Evangelhos querem que conheçamos e compreendamos a Pessoa de Jesus para a nossa conversão: Cristo morto e ressuscitado é o Senhor e nele nós temos a salvação se nele acreditarmos!

A Origem dos Evangelhos

A Igreja reconheceu quatro Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) como livros inspirados por Deus.

Jesus teria morrido no dia 7 e ressuscitou no dia 9 de abril do ano 30 da nossa era. Ele não escreveu nem mandou escrever nada.Apenas ordenou aos Apóstolos: “Ide por todo o mundo e proclamai o Evangelho a toda a criatura. Aquele que crer e for batizado será salvo” (Mc 16,15-16). A partir de então, a Igreja começou a proclamar a Boa Nova de Jesus. Organizou comunidades, batizou, celebrou a Eucaristia (chamada no Novo Testamento de “fração do pão”.).

A Igreja de Cristo vem antes da Bíblia: os apóstolos não andavam com a Bíblia debaixo do braço, pregandoe ensinando... Ainda não havia Novo Testamento por escrito, mas já havia Igreja evangelizadora! Antes de serem escritos, as mensagens de Jesus eram faladas, proclamadas, ensinadas e vividas oralmente.

O Evangelho (= Boa Notícia) é um só: Cristo morreu e ressuscitou para nos salvar! O Pai ressuscitou Jesus e derramou sobre ele o Santo Espírito e quem crer no nome de Jesus recebe o Espírito –Vida - para a remissão dos pecados e tem a vida eterna! 1Corintios 15,1-8!

O Evangelho é uma boa notícia, uma novidade alegre de salvação, que Cristo entregou à sua Igreja, chefiada por Pedro e os Doze!

Aos poucos, a partir do ano 52, (carta de Paulo aos Tessalonicenses) foi surgindo o Novo Testamento por escritosobre Jesus. Inicialmente foram aparecendo pequenas apostilas... sobre milagres de Jesus,algumas curas, discursos ou pequenas frases soltas... O primeiro que reuniu uma parte deste material e arrumou tudo num “evangelho” escrito foi São Marcos, (que não era apóstolo (lá pelo ano 63 – portanto, 33 anos após a morte e ressurreição de Jesus! Depois surgiram os outros evangelhos. Quando trazem o nome do apóstolo é porque foram escritos com base na sua pregação, na pregação apostólica. Um exemplo disso está no final do evangelho de João: “Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e foi quem as escreveu; e sabemos que seu testemunho é verdadeiro (Jo 21,24). Vejamos: quem é o discípulo que dá testemunho? É João, o Discípulo Amado; e quem são as pessoas que sabem (“ sabemos”, diz o texto!) que o testemunho de João é verdadeiro? Sãos os cristãos das comunidades fundadas por João, que escreveram a sua pregação e a colocaram por escrito! São eles os autores do Quarto Evangelho, usando o nome do seu mestre que é João!

Não foram escritos somente quatro evangelhos, mas muito mais de dez... Por exemplo: o Proto-Evangelho de Tiago, o Evangelho de Pedro, o Evangelho dos Doze Apóstolos, o Evangelho aos Hebreus... e muitos outros!São os chamados Evangelhos Apócrifos. Foi a Igreja quem decidiu, com a assistência do Santo Espírito (Mt 28,20; Jo 14,25-26; At 15,28) quais daqueles livros e cartas eram inspirados: Mateus, Marcos Lucas e João!

Foi assim que surgiram os quatro evangelhos atuais. Naquele tempo eles não eram chamados de “evangelhos”, mas sim de “Memórias dos Apóstolos”, porque traziam por escrito não um relato jornalístico sobre a vida de Jesus, mas o miolo da pregação apostólica.

São Justino, ano 150, sobre a celebração da Eucaristia, afirmava que“No dia que se chama do sol (era o modo dos pagãos chamarem o domingo) celebra-se a reunião dos que moram nas cidades ou nos campos e ali se leem, quanto o tempo permite, as Memórias dos apóstolos ou os escritos dos profetas (quer dizer, o Antigo Testamento)”. Somente no final do século II e início do século III, estes quatros escritos passaram a se chamar “evangelhos” (no plural).

 

Pe Geraldo Ildeo Fraco- dezembro 2016