CORPUS CHRISTI

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas.

Na festa de Corpus Christi, os fiéis agradecem, adoram e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.

ORIGEM DA FESTA DE CORPUS CHRISTI

A festa de Corpus Christi surgiu na Bélgica em Liege, por iniciativa da Irmã Juliana, agostiniana. Ela teria tido uma visão em que Jesus lhe pedira organizar uma festa para despertar nos fieis mais amor pela Eucaristia.

O padre Pedro Praga, da Bolsena, Itália, duvidou da presença eucarística. Ele percebeu que o corporal em que guardou a hóstia consagrada, estava ficando umedecido de sangue.

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse o corporal embebido no Sangue de Cristo, as relíquias de Bolsena para Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão, na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.

O Papa Urbano IV pediu a Santo Tomás de Aquino elaborar os textos litúrgicos para a celebração da festa de Corpus Christi. Até hoje cantamos hinos feitos por Santo Tomás como: Ave verum. Lauda Sion. Tantum ergo. O Salutaris Hostia.

Em 11/08/1264 o Papa aprovou a Bula “Transiturus de mundo”, onde prescreveu que, na 5ª feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente no mundo inteiro celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor.

O Papa havia sido arcediago de Liège e havia conhecido a Beata Juliana Cornilon e havia percebido nela uma luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos. Por isso expandiu a festa de Corpus Christi para toda a Igreja.

Hoje, no mundo inteiro os católicos fazem a festa de Corpus Christi com fervor e entusiasmo. Celebram solenemente a Eucaristia que é seguida por uma procissão em que Santíssimo Sacramento, conduzido solenemente sob um pálio, pelas ruas e praças, vaiabençoando a cidade e as famílias.  Lindos e sugestivos tapetes, homenageando a Jesus, são estendidos ou desenhados por onde o Santíssimo Sacramento vai passando.

A FESTA DE CORPUS CHRISTI EM 2018 NO CASTELO, NA PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS -PSCJ

A PSCJ de Ipatinga, compõe-se de cinco comunidades: Águas, Bela Vista, Cariru, Vila Ipanema e Castelo. Cada ano a festa de Corpus Christi é celebrada alternadamente em cada uma das comunidades.

Em 2018, no dia 31 de maio a festa foi celebrada na comunidade do Castelo, cujo padroeiro é São Judas Tadeu. Em cada ano todas as comunidades trabalham conjuntamente para organizar a tão importante festa de Corpus Christi. Aliás, é lindo ver tantos fiéis envolvidos na preparação da festa que nos leva a valorizar e adorar a Jesus, nosso Sumo e Eterno sacerdote: músicas, leituras bíblicas, salmos, paramentos, toalhas, alfaias, ornamentação, coroinhas, acólitos, ministros extraordinários da sagrada eucaristia, confecção dos desenhos dos tapetes das ruas por onde o Santíssimo Sacramento irá passar. Com antecedência a comunidade vai se preparando para fazer a melhor homenagem a Jesus reunindo o material para ser utilizado na confecção dos tapetes: casca de ovo, CD, tampinhas, sal, cal, pó de café, TNT, serragem, tintas de várias cores para colorir a serragem, betoneira para misturar a serragem.

A CELEBRAÇÃO DE CORPUS CHRISTI NO CASTELO – 31/05/2018

A grande festa de Corpus Christi, pormenorizadamente organizada, aconteceu no Castelo. Foram meses de preparação, organizando cada passo solenidade: Eucaristia e a Procissão, com as duas Bênçãos do Santíssimo no trajeto da procissão e a última dentro do Templo. Tudo feito buscando a perfeição para agradar e adorar a Jesus. Depois de tudo pronto, os fiéis das comunidades, na hora certa, começaram a chegar. O templo do Castelo ficou repleto de gente alegre, fervorosa e encantadora. Mas, o templo não coube tantos visitantes. Era tanta gente do lado de fora, que ficamos encantados e assustados positivamente. Um silêncio respeitoso inundou dentro e fora do templo. Creio que o Castelo nunca viu tanta gente no bairro. Só alegria, fervor, oração, atenção centrada na celebração, parecendo um só coração e uma só alma para adorar a Jesus.

AS EMOÇÕES VIVIDAS.

A celebração da Eucaristia, a procissão, as três Bênçãos do Santíssimo e a piedade dos fiéis provocaram um clima de profunda oração, de adoração e emoção, que encantaram a todos nós. O celebrante não conseguiu conter suas lágrimas o tempo todo.

Coroinhas, acólitos, Ministros e a assembleia dos fiéis estavam profundamente unidos no fervor eucarístico, todos a serviço de Jesus. Aliás, deu-se a impressão que a emoção tomou conta de todos os corações que estavam adorando e ligados no Santíssimo Sacramento.

Uma fiel me mandou esta mensagem, expressando o seu sentimento:

- “Missa linda, hein, padre. Parabéns! O senhor estava feliz, emocionado! A fé do povo contagia e emociona. Tudo na nossa Paróquia atrai. Em poucos lugares se vê tanta fé e dedicação. Tudo isso contribui para o fervor eucarístico dos fiéis. ”

- Emocionante. Deus é assim... Está presente, sempre... Saímos dali cheios de amor de Deus. Uma paz que vem do alto, que nos contagia com suas palavras, seu carinho... deu vontade de carregar o senhor no colo...” 

Exagerada ou não, esses foram os seus sentimentos sinceros.

A presença das crianças enriqueceu ainda mais a celebração. Uns deles queriam ficar com o padre sob o pálio. No final todas as crianças foram convidadas a subir para o presbitério, junto do Santíssimo no Altar. Fizeram preces pela família e pelo Brasil.

Para dizer a verdade aconteceu na festa de Corpus Christi uma verdadeira Transfiguração de Jesus no Monte Tabor, em que gostaríamos de ficar o tempo todo com Jesus vivo entre todos os fiéis – Lucas 9,29.

Pe. Geraldo Ildeo Franco – maio 2018

Vejam as Fotos da Solenidade.