A OUTORGA DA RÁDIO COMUNITÁRIA Sagrado Coração de Jesus

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Foi no ano 2006 que surgiu na Paróquia Sagrado Coração de Jesus a ideia de se tentar conseguir a outorga, ou seja, a concessão para a criação de uma RC. Sem conhecer os caminhos para se concretizar a liberação da radiofonia, fizemos pesquisas e pedimos ajuda a quem conhece da matéria. Entramos, finalmente, em contato com o MINISTÉRIO DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES – MECTIC, indagando qual seria o procedimento, a documentação e os trâmites para se conseguir a outorga para a abertura da RC.

O Dr. José Sobrinho, o senhor Valdir José Rocha e Geraldo Simões e a senhora Gildete Maria Magalhães foram convidados a nos ajudar. Conseguimos inicialmente formar um grupo maior de voluntários, para estudarmos o que fosse necessário para encaminhar os documentos conforme as exigências do Ministério das Comunicações, inclusive de alguns advogados que conhecem a Lei a respeito da abertura de uma RC. Além dessas pessoas de frente, tivemos ajuda de dezenas de outros voluntários indispensáveis para iniciarmos a construção e a elaboração de centenas de documentos exigidos pelo MECTIC. Até Deputados foram solicitados para nos ajudar a conseguir a outorga.

Dentre as muitas exigências feitas pelo Ministério, era criar uma Fundação sem fins lucrativos, com CNPJ, e endereço da Entidade, Livro de Atas, Razão social, formação de uma diretoria, ata registrada em Cartório e tantos outros mais documentos.  A Entidade levou o nome de Fundação dom Luciano Mendes. Cada membro da diretoria devia estar em dia com a Receita Federal e com a ficha limpa. Foram feitas várias reuniões buscando os caminhos a serem seguidos conforme as exigências do MECTIC, como o Registro do Livro de Atas em Cartório. Formamos a Diretoria com o mandato de dois anos. Conseguimos dez mil assinaturas em favor da abertura da RC.

As correspondências para Brasília atendendo às exigências de dezenas documentos só aumentavam e complicavam o nosso lado: projeto de engenharia eletrônica, GPS do local onde deveria funcionar a RC, CNPJ, registros no cartório de cada documento. Tudo tinha que ser 100% correto e o foi realmente sem que se encontrassem erros em nossos documentos enviados ao MECTIC

Para dizer a verdade, devemos ter enviado para Brasília cerca de dez vezes os mesmos documentos exigidos. Quando se troca o Ministro ou o (a) funcionário (a) que encaminha os documentos, o novo funcionário nos pedia os mesmos documentos que já havíamos enviado anteriormente. Esses pedidos de documentos já enviados duraram doze anos para provar e cansar nossa paciência. Mas, desanimar: NUNCA. A nossa esperança de um dia conseguir a outorga para a abertura da RC era grande, apesar de não termos a resposta positiva por parte do MECTIC.  Sabendo nós que os nossos documentos estavam todos em dia e de acordo com o MECTIC.

A exatidão em que elaborávamos os documentos solicitados nos fazia ter esperança, dado que não se encontrava erro ou imperfeição em nossa enorme lista de documentos enviados a Brasília. Justamente na semana do Dia mundial das Comunicações, 13 de maio, festa da Ascensão de Jesus aos céus, e Nossa Senhora de Fátima, veio a notícia de Brasília, com o aval do Exmo. Senhor Ministro das Comunicações, senhor Gilberto Kassab, notificando-nos que nos foi concedida a outorga para abrirmos a Rádio Comunitária, FM 98,7, para funcionar no Bairro Bela Vista, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Ipatinga.

A notícia da abertura da Rádio Comunitária Sagrado Coração de Jesus, da Fundação Dom Luciano Mendes, dentro da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, alegrou os fiéis que se emocionaram com a tão esperada notícia da abertura da RC.

Agora temos que nos unir para comprarmos, contratarmos os radialistas, a aparelhagem para as transmissões radiofônicas e fazer a Rádio ir aos ares em favor da verdade, da Igreja, da arte, da cultura, das notícias, do esporte, da família e de educação.

Pe. Geraldo Ildeo Franco