SÃO GASPAR BERTONI

PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ÁGUAS, BELA VISTA, CARIRU, CASTELO, VILA IPANEMA - IPATINGA / MG.

O Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus

 

 

 

 

Verona, Itália, em 1816 estava dentro do fogo cruzado de Napoleão Bona Parte e do exército austríacoque ocuparam a cidade e disputavam a sua posse. A guerra provocou um clima de anarquia, libertinagem, atingindo especialmente a juventude, desamparada.  e cheia de ideias revolucionárias, inclusive entre o clero.Eram muitosos feridos de guerra, e não havia escolas para os meninos pobres.

Desde seminarista, Pe. Gaspar Bertoni cuidou dos feridos de guerra e na instrução da juventude. Fundou Oratórios Marianos, onde reunia a juventude para orar e meditar a Palavra de Deus, e também para o lazer. Promovia ocupações sadias, tirando os jovens perdidos daquele clima adverso que reinava na cidade. Os jovens formados por ele passaram a ser bem aceitos em todos os locais, pelo seu bom comportamento e aplicação no trabalho e nos estudos. Pe. Gaspar encaminhou esses jovens para artes e atividades através de preparação especializada, e mostrou-lhes o caminho da perfeita vida cristã.

Foi ordenado sacerdote no dia 20 de setembro de 1800.

Grande pregador, o Padre Gaspar comovia os corações mais revoltados com os sofrimentos da guerra. Pela excelência de seu trabalho nas missões populares, ele recebeu da Santa Sé o título de Missionário Apostólico.Trabalhou na reforma do Clero de Verona, que também fora atingido por aquele clima de libertinagem causado pela guerra. O clero se converteu e passou a ser reconhecido como modelo de disciplina e zelo.

Vivia constantemente sob o influxo do sentimento da presença de Deus. Vivia o Santo Abandono, deixando que Deus conduzisse a sua vida, e, como ele nos ensinou: sem jamais precedê-lo. Assim, em tudo ele percebia a vontade de Deus em sua vida, e tudo fazia para realizá-la. Vivia o filial e confiante abandono nas mãos de Deus, mesmo nas circunstâncias mais difíceis da vida.

Assim, um dia, diante do altar de Santo Inácio de Loyola, fundador dos Jesuítas, Pe. Gaspar teve uma visão: era como se o santo lhe pedisse para fundar uma ordem religiosa. Seria uma tarefa quase impossível, pois, temendo qualquer reação contra os invasores da cidade que haviam proibido quaisquer reuniões ou aglomerações de pessoas. As ordens religiosas, inclusive os Jesuítas foram suprimidas, Mas Pe. Gaspar, percebendo a vontade de Deus, passou a reunir-se com alguns companheiros, com objetivo inicial de estudos. E, como lutava para conseguir instalações para fundar uma escola para os meninos pobres, foi lhe dado um prédio anexo à Igreja dos Estigmas, para esta finalidade. A Igreja recebia este nome porque era dedicada às chagas ou estigmas que São Francisco de Assis recebera, ao modo dos que feriram mãos, pés e peito de Jesus, e estava fechada há muito tempo. Para ser reaberta, necessitava de reformas.

No frio 4 de novembro de 1816, Pe. Gaspar entrou com alguns companheiros no prédio, para iniciar a escola, e este mesmo dia foi o marco de início da congregação que ele estava fundando.

Foram imensos os trabalhos necessários para iniciar a escola e reabrir a Igreja. A pequena comunidade empenhou-se a fundo e no ano seguinte tudo já estava funcionando. Os aposentos eram os mesmos para escola e quartos de dormir, então diariamente trocavam-se as camas por carteiras, e vice-versa.

Pe. Gaspar tinha imenso respeito pelo Papa e pelos bispos, sucessores dos apóstolos. E, unindo esta devoção ao título que recebeu da Santa Sé, assim ele definiu o lema da sua congregação:

"Missionários Apostólicos em Auxílio aos Bispos"

Os Estigmatinos dedicam-se à pregação da Palavra de Deus com retiros e missões populares, à formação da juventude e ao clero, seguindo os passos de seu fundador.

Nossa Senhora e São José, santos Esposos, foram escolhidos como os patronos da congregação. A festa de São Gaspar Bertoni acontece no dia 06 de junho.

Pe. Geraldo Ildeo Franco- maio 2018