08/07 Notícias da Igreja Chuvas no Nordeste. Garanhuns: Caritas na linha de frente em socorro das vítimas
Compartilhar

Chuvas deixam mortos e desabrigados no Nordeste do Brasil. Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte enfrentam enchentes, deslizamentos, e outras consequências do grande volume de chuva. Trinta e oito municípios encaminharam ao governo do estado de Pernambuco decretos de situação de emergência devido às chuvas iniciadas no mês de julho. O estado já contabiliza mais de dez mil pessoas que estão fora de suas casas

A Caritas da Diocese de Garanhuns, em Pernambuco, tem acompanhado de perto o drama das famílias que estão sofrendo com o alto índice de chuva na região. Padre Nivaldo Magela é o atual diretor espiritual da Caritas diocesana e nos enviou informações sobre as chuvas e também as ações desta Igreja particular.

Chove mais do que o esperado

O sacerdote esteve visitando cidades afetadas pelas chuvas e nos diz qual é a situação panorâmica da região: “estive com as pessoas e elas relataram que há muito tempo não se tem tanto volume de chuva na região. Para o povo é uma surpresa tanta chuva. Obviamente temos que considerar que há falta de preservação e há má conservação do meio ambiente que influência diretamente nestes espaçamentos de chuvas e também nas mudanças climáticas. Não podemos atribuir todos esses deslizamentos a fatores naturais, existem fatores humanos que devem ser levados em consideração”.

Padre Nivaldo esteve também conversando com técnicos sobre a previsão do tempo para os próximos dias e sobre esse tema nos diz: “Nestes últimos dias se choveu mais do que esperado, surpreendendo muita gente. As previsões para os próximos dias são de uma pequena estiagem, mas logo após essa curta estiagem as chuvas retornam na área diocesana, isto é, em alguns lugares da região a situação ainda pode se agravar. Não é possível prever as altas dos rios, mas as chuvas vão permanecer por um bom período”.

As principais consequências das chuvas na região diocesana

Ao verificar de perto as situações de riscos e as consequências das chuvas sobre a área da diocese, o sacerdote relata: “percebemos muitos estragos, principalmente em estruturas de acesso, ou seja, nas estradas da região, impossibilitando que a ajuda chegue aos moradores. Algumas pontes dentro das cidades caíram, alguns lugares públicos como estações foram alagados. Casas foram invadidas pela água, estive em famílias em que simplesmente só restou cadeiras.  Percebemos famílias entristecidas e desoladas, pois a água levou tudo e estão aguardando com esperança a ajuda chegar. A impressão que tenho é que muitas famílias se questionam – ‘o que iremos fazer a partir de agora?’ –, certamente as chuvas vêm deixando consequências físicas graves, mas sobretudo o sofrimento humano”.

As cidades mais afetas da Diocese de Garanhuns

A Diocese de Garanhuns pertence ao estado de Pernambuco e está organizada em 37 paróquias em 26 municípios. Sobre os municípios, padre Nivaldo diz: “o poder público tem realizado ações emergenciais organizada e efetiva. Existe uma mobilização de recursos sociais como de médicos, maquinários e de equipamentos para retirada de lamas e atendimento ao povo. Chamo a atenção para a cidade de Correntes que ainda possui muita lama espalhada e a desolação no olhar das pessoas. Em Canhotinho, pessoas estão abrigadas em escolas com apoio do poder público. A Igreja tem acompanhado de perto essas situações e está se preparando para caso as pessoas precisem de mais ajudas. Visitamos também a área rural em São Benedito do Sul, onde há grandes preocupações com a altura da água. Em dois sítios que visitamos a água subiu mais de quatro metros.”

A preocupação com as famílias

Ao refletir sobre o sofrimento das famílias da região, padre Nilvaldo relata a situação de uma família que chamou sua atenção: “uma família de um senhor de no máximo trinta e sete anos com filhos, a mais velha com onze anos e o mais novo quatro meses. Este senhor construiu a sua casa de forma muito simples. No fundo da casa ele tinha uma horta de onde organizava o sustento da família, mas que foi destruída pelas inundações. Ele e a família foram transferidos para uma escola onde estão sendo acolhidos os desabrigados pelas chuvas. Estas famílias que estão sendo abrigadas carecem também de acompanhamentos humanitários e psicológicos, para que essas pessoas saibam conviver com as mudanças que estão sendo obrigados a realizar. O sofrimento dessas famílias se dá pela perda dos bens materiais. Uma preocupação que devemos ter é a de reconstruir o direito de moradia destas famílias e também a identidade e memórias destas pessoas”.

As iniciativas da Igreja diocesana

Sobre as ações práticas que a Igreja tem organizado para colaborar com essas famílias que estão sofrendo com o grande volume de chuva, o diretor espiritual da Caritas enfatiza que: “Graças a Deus houve uma mobilização solidária muito rápida. Em nossa diocese possui uma rede de solidariedade para aqueles que precisam, mas diante destas situações esta rede se inflamou de amor. Desde o inicio da situação das chuvas muitas paróquias fizeram coletas e acionaram os paroquianos e outras pessoas pedindo ajuda. As ações nas paróquias foram imediatas e rápidas para suprir as necessidades. São cestas básicas, roupas, colchões e cobertores que chegam até nós, realizamos as triagens e entregamos. Muitas famílias estão sendo beneficiadas. Verdadeiramente se constituiu uma rede de solidariedade em nossa diocese. As paróquias das principais cidades afetadas pelas chuvas também estão atuando diretamente no acolhimento e colaborando com as famílias. Todas essas ações são resultado de uma consciência solidaria e que está funcionando muito bem”.

A ajuda que chega

Com o caos instalado em grande parte do nordeste do Brasil, a Diocese de Garanhuns tem realizado uma campanha nacional de solidariedade: “Nosso primeiro objetivo é contribuir na assistência alimentar das famílias desabrigadas. E com as chuvas permanecendo outra preocupação é com os vestuários, principalmente as roupas, pois as pessoas lavam as roupas, mas por conta das chuvas as roupas não secam”.

Nós lançamos a Campanha SOS AGRESTE para aqueles que desejam colaborar. As informações desta campanha estão no site: https://www.diocesegaranhuns.org/noticias/sos-agreste-meridional-1186 e onde se tem uma regional da Caritas as pessoas podem levar suas contribuições.

“Sem a rede solidaria não seria possível colaborar com tanta eficácia. E queremos continuar ajudando essas famílias que precisam de nossa solidariedade”, relatou padre Nivaldo.

Marília Siqueira – Vatican News