19/01 Notícias da Igreja Dom Antônio Emídio Vilar é nomeado bispo diocesano de São José do Rio Preto
Compartilhar

O Papa Francisco nomeou dom Antônio Emídio Vilar como novo bispo da diocese de São José do Rio Preto (SP). Até então bispo de São João da Boa Vista (SP), dom Vilar assume a Igreja particular que tem sido pastoreada pelo administrador apostólico, dom Moacir Silva, arcebispo de Ribeirão Preto. 

Biografia 

Dom Antônio Emídio Vilar nasceu no dia 14 de novembro de 1957, em Guardinha, distrito do município de São Sebastião do Paraíso (MG), mas a família se firmou em Batatais (SP) semanas depois do seu nascimento. É religioso salesiano desde 1976, foi ordenado presbítero em 1986 e é bispo desde 2008. Seu lema é “Animan pro Ovibus”  (A vida pelas ovelhas (Jo 10,11)) 

Aos 11 anos, foi para o seminário salesiano em Pindamonhangaba (1969). Nos anos seguintes, continuou a formação religiosa em Lavrinhas. Professou os votos ao fim do noviciado no dia 31 de janeiro de 1976, em Pindamonhangaba. 

Mais tarde, em Lorena, cursou Filosofia e Pedagogia (1976-1978). Fez tirocínio pastoral em Lavrinhas (1979-1980) e São Paulo (Instituto Dom Bosco, Bom Retiro) até agosto de 1981. 

De 1981 a 1986 cursou bacharelado e mestrado em teologia na Universidade Pontifícia Salesiana (UPS), em Roma. Foi ordenado presbítero em 9 de agosto de 1986, na cidade de Batatais, na Paróquia Senhor Bom Jesus da Cana Verde. 

Na Congregação Salesiana de Dom Bosco, atuou em diversas funções como na coordenação de estudos e professor em Pindamonhangaba (1986) e em Lorena, onde atuou na área da Filosofia (1987 a 1989). Também foi diretor do aspirantado, em Pindamonhangaba (1990). De 1991 a 1993, coordenou os estudos e lecionou no Centro Universitário Salesiano (Unisal Pio XI), em São Paulo (SP), onde, de 1994 a 1998, foi também diretor. 

De 1999 a 2007 foi mestre de noviços em São Carlos. E, de 2002 a 2007, concomitantemente foi também diretor da obra ‘Salesianos São Carlos’. Em 2008 foi pároco da Paróquia N. S. Auxiliadora e diretor do Instituto Dom Bosco, em São Paulo. 

Dom Vilar também atuou como juiz do Tribunal Eclesiástico de Aparecida (1987 – 2008); foi membro da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (Soter), de 1991 a 1998; e membro do Conselho de presbíteros na diocese de São Carlos (2006-2007). 

Em 23 de julho de 2008, foi nomeado bispo da diocese de São Luiz de Cáceres (MT). A ordenação foi no dia 27 de setembro daquele ano, no Santuário Nossa Senhora Auxiliadora, no Bom Retiro, em São Paulo.  

Em 28 de setembro de 2016, uma nova missão confiada pela Igreja. Foi nomeado bispo da diocese de São João da Boa Vista, da qual está à frente até o momento. A posse como o quinto bispo da Igreja Particular foi no dia 20 de novembro do mesmo ano. 

Dom Vilar atuou no Regional Oeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) como referencial da Juventude, da Liturgia, do Centro de estudos de filosofia e de teologia (Sedac) e do Tribunal Eclesiástico. 

De 2011 a 2019, foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB.  

Atualmente, no Regional Sul 1 da Conferência, é bispo referencial da Juventude do Regional Sul 1 da CNBB até 2022. 

Saudação da CNBB a dom Antônio Emídio Vilar 

Estimado irmão, dom Antônio Emídio Vilar,  

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) acolhe, com alegria, a sua nomeação como bispo da Diocese de São José do Rio Preto (SP). Transmitimos votos para um frutuoso trabalho na nova missão, na esteira de sua doação e serviço em São Luiz de Cáceres (MT) e São João da Boa Vista (SP). 

Unimo-nos ao povo de Deus na diocese de São José do Rio Preto para agradecer pelo zelo apostólico do Santo Padre o Papa Francisco e pela condução de Dom Moacir Silva nos últimos meses.  

À luz da mensagem do Papa para o Dia Mundial das Missões do ano passado, partilhamos essa motivação para uma necessidade que nos interpela no mundo atual: levar a esperança evangélica:  

Como os apóstolos que viram, ouviram e tocaram a salvação de Jesus (cf. 1 Jo 1, 1-4), também nós, hoje, podemos tocar a carne sofredora e gloriosa de Cristo na história de cada dia e encontrar coragem para partilhar com todos um destino de esperança, esse traço indubitável que provém de saber que estamos acompanhados pelo Senhor.” 

Rogamos para o seu pastoreio e ministério episcopal a proteção de Nossa Senhora, cujo Imaculado Coração triunfará.  

Em Cristo,  

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB 

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB 

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima (RR)
Segundo Vice-Presidente da CNBB 

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB 

CNBB