28/03 Notícias da Igreja Fugindo das bombas, Divina Liturgia é celebrada no metrô de Kiev
Compartilhar

Para maior segurança do fiéis, não restou aos sacerdotes basilianos que celebrar a Divina Liturgia, atender confissões e encorajar os fiéis na estação do metrô de Kiev.

Os sacerdotes Josaphat Kovaliuk e Toma Kushka, OSBM, bem como outros sacerdotes basilianos em Kiev, já haviam descido aos abrigos antiaéreos em várias ocasiões desde o início da invasão russa, mas desta vez havia um motivo especial. Pela primeira vez presidiram a Divina Liturgia no metrô de Kiev. Uma “novidade” não apenas para os religiosos da Igreja Greco-Católica, mas também para os pacíficos fiéis ucranianos, que já vinham se refugiando no metrô para fugir das bombas e mísseis russos.

“Esta estação de metrô abriga muitas pessoas que vêm aqui por segurança, ou até mesmo moram aqui”, explica pe. Josaphat, que celebrou a Divina Liturgia.

Viktoria, paroquiana da Igreja de São Basílio o Grande, em Kiev, ajudou a organizar a celebração da Divina Liturgia do metrô. Ela é médica na estação, explicou o sacerdote.

“A maioria das pessoas reagiu positivamente a esta iniciativa e rezou conosco com prazer. E embora os participantes da liturgia fossem de várias denominações, sentimos uma unidade na oração ao único Deus”, disse pe. Josafá.

Ele admitiu que foi um momento especial para ele, pois pôde estar com pessoas que precisavam de apoio, e puderam rezar juntos para parar a guerra, rezar pelos soldados e pela paz nesta terra.

Quando um dos monges serve a Divina Liturgia, outro ouve confissões. Pe. Toma tenta apoiar as pessoas com palavras de encorajamento. E ele não recusa quem simplesmente precisa conversar com alguém, sem confissão.

Nestes tempos difíceis, os padres Basilianos de Kiev são assistidos pelas Irmãs Basilianas, que ajudam cantando as respostas e cantando durante a Divina Liturgia no metrô de Kiev.

“Durante a guerra, as Irmãs Basilianas Yelena de Zhytomyr e Yelysaveta de Lviv servem em nossa igreja. Nossos padres costumam visitar as estações de metrô com eles, para conversar com as pessoas, apoiá-las espiritualmente, administrar o Sacramento da Penitência”, explica pe. Josafá.

“Somos gratos às Irmãs Basilianas que nos ajudam em nosso ministério espiritual”, acrescenta, “e também aos voluntários por seu serviço neste momento difícil”.

A celebração da Divina Liturgia na estação de metrô de Kiev foi a primeira, com a garantia de que não será a última. “Fazemos visitas pastorais quase todos os dias e, a partir de agora, planejamos ter uma Divina Liturgia uma ou duas vezes por semana. Queremos visitar outras estações também”, disse pe. Josafá.

*Com informações do site da Igreja Greco-Católica Ucraniana

Vatican News
Imagem capa: Pixabay