10/06 Notícias da Igreja Morre dom Aloísio Sinésio Bohn, bispo emérito de Santa Cruz do Sul (RS). A CNBB enviou nota de Condolências
Compartilhar

A diocese de Santa Cruz do Sul (RS) comunicou na noite desta quinta-feira, 09 de junho o falecimento de seu bispo emérito, dom Aloísio Sinésio Bohn, aos 87 anos. De acordo com a diocese, o bispo morreu de pneumonia. Ele estava hospitalizado, nos últimos dias, por causa de uma dificuldade respiratória, chegou a receber alta, mas não resistiu e morreu.

O corpo de dom Sinésio será sepultado na Catedral São João Batista, onde acontecerão as celebrações de exéquias. O velório terá início às 9h e a missa de corpo presente será celebrada às 15h, desta sexta-feira.

Nascido em Montenegro (RS), em 11 de setembro de 1934, dom Sinésio foi o segundo bispo de Santa Cruz do Sul e esteve à frente da diocese de 1986 até 2010. Desde que se tornou emérito residia na Casa de Amparo Fraterno, junto com um grupo de padres idosos da Diocese.

Na CNBB, atuou na Comissão Episcopal de Pastoral e foi o bispo responsável pelos setores do Ecumenismo, do Diálogo Inter-religioso e da Pastoral da Juventude de 1983 a 1990. De 1992 a 1995 foi o Presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC).

Biografia

Filho de João Bohn Sobrinho e Oliva Paulina Both, dom Sinésio fez seu Ensino Médio no Seminário Menor São José de Gravataí, de 1952 a 1954. Depois, em Roma, residindo no Pio Brasileiro e estudando na Universidade Gregoriana, cursou Filosofia, Teologia e Direito Canônico, de 1955 a 1964. Foi ordenado presbítero em Roma no dia 23 de dezembro de 1962.

De volta ao Brasil atuou, principalmente, como vigário paroquial na paróquia São Jorge, em Porto Alegre, de 1964 a 1965. Trabalhou como professor de Teologia e assistente dos estudantes de Filosofia e Teologia da Arquidiocese de Porto Alegre no Seminário Maior de Viamão de 1966 a 1977.

Em 27 junho de 1977 foi nomeado pelo papa Paulo VI bispo auxiliar da arquidiocese de Brasília e consagrado no dia 09 de setembro do mesmo ano, no Seminário Maior de Viamão pelo arcebispo de Porto Alegre, dom Vicente Scherer. Em 23 de fevereiro de 1980 dom Sinésio assumiu como primeiro bispo de Novo Hamburgo e em 31 de agosto de 1986 assumiu como segundo bispo da diocese de Santa Cruz do Sul.

Na CNBB, atuou na Comissão Episcopal de Pastoral por oito anos, foi o Bispo responsável pelos setores do Ecumenismo, do Diálogo Inter-religioso e da Pastoral da Juventude durante os anos de 1983 a 1990. De 1992 a 1995 foi o Presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) por quatro anos e, como coordenador do setor de Ecumenismo e Diálogo Religioso da CNBB, representou o Pontifício Conselho para o Ecumenismo no Encontro Mundial de Igrejas em Hong Kong. Promoveu o diálogo da igreja Católica com a Maçonaria e se empenhou no diálogo entre católicos e judeus.

Outra marca de Dom Sinésio foi seu decidido apoio às pastorais sociais. Foi bispo referencial da Pastoral Operária em nível nacional e durante quatro anos representou a CNBB nas pastorais sociais do CELAM (Conselho Episcopal Latino Americano).

Ao longo de sua caminhada como bispo projetou um lar para os padres idosos da Diocese com a aquisição da Casa Amparo Fraterno, em Linha Santa Cruz, Santa Cruz do Sul. Incentivou a formação teológica dos leigos com a constituição do Centro Diocesano de Formação (CDFPT) e motivou a formação de ministros e catequistas. Criou a Escola Diocesana de Diáconos Permanentes e Ministros Extraordinários do batismo. Foi também a partir desta convicção que ele investiu na aquisição da Rádio Santa Cruz e na qualificação do Jornal Integração, que é o jornal oficial da Diocese de Santa Cruz do Sul.

Nota de Condolências da CNBB pelo falecimento de dom Aloísio Sinésio Bohn

Brasília-DF, 10 de junho de 2022

Prezado irmão, dom Aloísio Alberto Dilli, bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta seu pesar pelo falecimento do bispo emérito, dom Aloísio Sinésio Bohn, aos 87 anos, ocorrido na noite desta quinta-feira, 09 de junho de 2022.

Enviamos nossa saudação fraterna ao senhor, aos familiares de dom Sinésio, às comunidades da diocese de Santa Cruz do Sul (RS) e as nossas orações pelo descanso eterno do bispo que percorreu em seu bispado o caminho da formação de novos sacerdotes, o trabalho com a juventude e as pastorais sociais. Além da dedicação ao diálogo ecumênico, assim como escreveu o então Papa João Paulo II em sua Encíclica Ut unum sint! (Sobre o emprenho ecumênico).

“Com o Concílio Vaticano II, a Igreja Católica empenhou-se, de modo irreversível, a percorrer o caminho da busca ecuménica, colocando-se assim à escuta do Espírito do Senhor, que ensina a ler com atenção os sinais dos tempos”, destacou São João Paulo II.

Em Cristo,

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima (RR)
Segundo Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

CNBB