13/08 Notícias da Igreja O cardeal Marx e o pastor Bedford-Strohm recebem Prêmio da Paz de Augsburg
Compartilhar

Comentando a premiação, o cardeal alemão destacou que “o cristianismo na Alemanha e na Europa só terá futuro se trabalharmos intensamente juntos e permanecermos ecumenicamente unidos. Isto é importante e vejo o prêmio como um encorajamento”, enfatizou. “Vejo este prêmio como um sinal público do que se espera de nós e como um forte encorajamento para continuarmos no caminho ecumênico”, disse por sua vez o pastor Bedford-Strohm

Vatican News

Um reconhecimento da “vontade incondicional deles de viverem juntos em paz”. Com esta motivação, o arcebispo de Munique e Freising, na Alemanha, cardeal Reinhard Marx, e o pastor luterano Heinrich Bedford-Strohm foram agraciados com o Prêmio da Paz de Augsburg, concedido a cada três anos desde 1985 pela cidade bávara junto com a Igreja Evangélica da Baviera a pessoas que se distinguiram por sua contribuição para a promoção da tolerância e da coexistência pacífica entre culturas e religiões. O anúncio dos vencedores – lê-se no site da Federação Luterana Mundial – foi feito no dia 8 de agosto por ocasião do Festival da Paz de Augsburg.

“Durante a celebração do quinto centenário da Reforma em 2017, o cardeal Reinhard Marx e o bispo Heinrich Bedford-Strohm deram um sinal histórico a todos os cristãos do mundo e um testemunho impressionante de como a verdadeira comunhão na fé é possível apesar das diferentes afiliações confessionais”, explicou a prefeita de Augsburg, Eva Weber.

Em 11 de março de 2017, os então presidentes da Conferência Episcopal Alemã (Dbk) e da Igreja Evangélica da Alemanha (Ekd) co-presidiram em Hildesheim uma celebração conjunta de arrependimento e reconciliação na qual compartilharam reflexões sobre as dolorosas divisões do passado e trocaram pedidos de perdão pelas faltas de ambos os lados.

Alegria e gratidão pelo que as duas Igrejas têm em comum

O evento também foi uma oportunidade para expressar alegria e gratidão pelo que as duas Igrejas têm em comum e apreciam uma da outra. A iniciativa seguiu-se à Celebração conjunta católico-luterana da Reforma em 31 de outubro em Lund, à qual se juntou o Papa Francisco por ocasião de sua Viagem Apostólica à Suécia.

O compromisso do pastor Bedford-Strohm e do cardeal Marx com o ecumenismo também foi sublinhado pelo bispo evangélico de Augsburg, o reverendo Axel Piper, presidente do júri.

“Paixão por Deus e pelo mundo”

“Pensam e falam com o mesmo espírito”, disse ele. Com uma comum “paixão por Deus e pelo mundo”, o trabalho deles para o progresso do ecumenismo tem sido exemplar, afirmou.

Comentando a premiação, o cardeal Marx destacou que “o cristianismo na Alemanha e na Europa só terá futuro se trabalharmos intensamente juntos e permanecermos ecumenicamente unidos. Isto é importante e vejo o prêmio como um encorajamento”, disse o purpurado.

Agraciados anteriormente

Por sua vez, o bispo Bedford-Strohm expressou a esperança de que possam ser feitos progressos também para a Comunhão comum. “Vejo este prêmio como um sinal público do que se espera de nós e como um forte encorajamento para continuarmos no caminho ecumênico”, observou ele.

O último Prêmio da Paz de Augsburg foi concedido em 2017 ao reverendo Martin Junge, secretário geral da Federação Luterana Mundial (Flm). Entre os vencedores anteriores: o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachov, o patriarca copta Shenouda III e o ex-presidente alemão Richard von Weizsäcker.

Vatican News Service – LZ/RL