18/05 Notícias da Igreja Projeto “Com Deus tem jeito” do Brasil é apresentado ao Papa Francisco
Compartilhar

O projeto de transformação social e de restituição da dignidade às pessoas em situação de rua é desenvolvido pela Obra Lumen de Evangelização. Edwin Costa foi quem entregou a Francisco uma carta e material ilustrativo sobre “Com Deus tem jeito”, que apresentam como essa experiência tem fecundado na vida comunitária no Brasil. Hoje, a iniciativa une mais de 400 carismas para, “juntos, fazer essa experiência de amar Jesus abandonado”.

Ao final da Audiência Geral desta quarta-feira (18), como tem acontecido nas últimas semana, o Papa tem saudado de perto vários peregrinos presentes na Praça São Pedro. Como foi o caso de um trio de brasileiros que tem trabalho junto para desenvolver uma missão especial na Guiné-Bissau: o Pe. Renato Chiera, da Casa do Menor, e o casal da Obra Lumen de Evangelização, Edwin Costa com a esposa Raquel. Em entrevista a Silvonei José, Edwin falou da alegria de trazer “boas notícias” ao Pontífice sobre as obras assistenciais e de estar representando as comunidades do Brasil e da África, “que também gostariam de expressar toda essa gratidão que tem ao Santo Padre pelas palavras de encorajamento”:

“Trouxemos algumas coisas produzidas por irmãos que um dia estavam nas ruas e hoje já foram acolhidos e amados como fruto de todo esse movimento; e também muitas mensagens escritas, que muitos irmãos quiseram escrever a próprio punho. E nós trouxemos ao Papa. Ele viu as mensagens e ficou muito feliz.”

“Com Deus tem jeito”

Edwin fala de pessoas que foram resgatadas na rua, muitos marcados pela dependência química, prostituição e violência, através do projeto “Com Deus tem jeito”, de 2016, que surgiu no Ano da Misericórdia em resposta ao apelo do Papa Francisco que pedia obras concretas de misericórdia. Hoje, a iniciativa une mais de 400 carismas do Brasil inteiro para, “juntos, fazer essa experiência de amar Jesus abandonado”. Ao Pontífice, Edwin entregou uma carta e material ilustrativo que apresenta toda a trajetória do projeto, que acontece graças a benfeitorias, e como essa experiência tem fecundado na vida comunitária no Brasil.

“Com Deus tem jeito” tem realizado encontros de evangelização e acolhimento em diferentes cidades do Brasil. O próximo, na sua sexta edição, está marcado para 5 de novembro em Belo Horizonte, Minas Gerais. A manifestação de caráter itinerante, que já aconteceu inclusive na Argentina, procura despertar nas pessoas em situação de rua o desejo de mudar de vida, saindo das ruas para buscar apoio clínico e espiritual.

A história da Obra Lumen

O projeto de transformação social e de restituição da dignidade é desenvolvido pela Obra Lumen de Evangelização, que nasceu como um grupo de jovens em 1989 com o carisma de “sair de si mesmo e ir ao encontro do outro, especialmente daqueles que mais sofrem”. A entidade está presente em 12 dioceses no Brasil e, recentemente, em Bafatá, na Guiné-Bissau. São 30 casas de acolhimento e centros sociais de evangelização em comunidades carentes que abraçam famílias inteiras em situação de rua.

“São atividades de evangelização, educativas, esportivas e culturais, onde a gente vai tentando inserir princípios cristãos, recebendo os sacramentos, sendo amadas e cuidadas para se tornarem bons cristãos. Então, a gente vai plantando essa semente na parte do trabalho nas comunidades e vai acolhendo aquele Jesus crucificado e abandonado nas casas de acolhimento, sempre inseridos nas realidades paroquiais, junto aos nossos párocos, onde fazemos um discernimento de onde nós devemos ir, onde nós devemos atuar, em que realidade junto com a paróquia nós precisamos ser resposta.”

“O futuro hoje é olhar nos olhos do Santo Padre, é se unir cada vez mais à Igreja, àqueles que sofrem, às outras comunidades, e deixar que Deus conduza. Nós não fazemos planos, mas é deixar que Deus faça os planos dele e que nós todos possamos sonhar os sonhos de Deus.”

Andressa Collet e Silvonei José – Vatican News
Imagem capa: A Obra Lumen de Evangelização entregou o material ao final da Audiência Geral (Vatican Media)