31/01 Notícias da Igreja Secretário-geral da CNBB recebe freis da comunidade Franciscana da Custódia da Terra Santa
Compartilhar

O bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Joel Portella Amado recebeu, na última quinta-feira, 27 de janeiro, freis da Ordem dos Frades Menores (OFM), da Custódia da Terra Santa. Entre os religiosos, frei Bruno Varriano, Guardião e Reitor da Basílica da Anunciação e do Santuário da Sagrada Família em Nazaré – Israel.

O grupo passou por Brasília antes de seguir para Uruaçu (GO) onde terão uma ordenação da congregação. Os missionários aproveitaram para fazer uma visita de cortesia a CNBB. Também participou do encontro secretário-executivo de CNBB e subsecretário-geral adjunto interino da entidade, padre Patriky Samuel Batista.

“Foi uma visita pessoal em razão da amizade que eu tenho com frei Bruno e com os demais frades, tanto da Custódia da Terra Santa, quanto da Província do Rio de Janeiro e do Centro-Oeste”, destacou Dom Joel Portella Amado.

Na ocasião, o grupo também conversou sobre as peregrinações à Terra Santa. “Segundo os frades informaram, o Brasil é o terceiro país a peregrina para Terra Santa, com pandemia zerou praticamente. Conversamos um pouco sobre o futuro, o sentido das peregrinações e corresponsabilidade dos católicos do mundo todo com a preservação e manutenção daquele lugar tão especial.”, disse o secretário-geral da CNBB.

Livro

Frei Bruno Varriano é um dos autores do livro ‘José (Yosef) — Artesão de humanidade – Homem justo, esposo e pai’, lançado em março de 2021 pela Edições CNBB em parceria com a Editora Canção Nova, na Solenidade de São José, Esposo de Maria e quando foi aberto o Ano Família Amoris Laettia – convocado pelo Papa Francisco.

De acordo com a Edições CNBB, o livro “é uma obra especial que, neste ano dedicado a São José, nos convida a conhecer a vida e a realidade desse artesão de humanidade, homem justo, esposo de Maria e pai adotivo do Salvador”.

Frei Bruno também conversou com o diretor geral da Edições CNBB, monsenhor Jamil Alves de Souza sobre possíveis novas publicação de livros em parceria com a editora da CNBB.

História, raízes, memória

As da Custódia da Terra Santa remontam há mais de 800 anos. Quando São Francisco de Assis enviou seus frades para estabelecer a “Província de Além Mar”. Pouco depois, eles mesmos receberiam um mandato claro: guardar – em nome da Igreja Católica – os Lugares Santos, testemunhas da vida, morte e Ressurreição de Jesus.

A educação e o crescimento das novas gerações são alguns dos campos aos quais a Custódia da Terra Santa dedica maior atenção. Uma atividade diária que se concretiza nas 15 escolas que dirige em 5 países, frequentadas por 11.000 alunos e 1.100 professores.

A primeira e fundamental missão dos franciscanos permanece sempre a mesma: guardar os Lugares Santos. São 80 os santuários presentes nas atuais fronteiras de Israel, Palestina, Jordânia e Síria.

Live de lançamento do livro:

CNBB