06/04 Notícias da Igreja V Romaria das Águas e da Terra da Bacia do Rio Doce será em setembro no município de Conceição do Mato Dentro
Compartilhar

Por conta da pandemia uma versão “virtual” da quinta romaria foi realizada e conforme a carta publicada em 19 de julho de 2020 – “tivemos que realizá-la de forma não presencial, mas aguardando o tempo oportuno para realizá-la presencialmente”.

Esse momento chegou e para isso os trabalhos foram retomados a todo vapor, reunindo em Conceição do Mato Dentro diversas entidades parceiras (Caritas, Assessorias Técnicas aos Atingidos, MAM, NACAB, AMEFA), para a sua preparação.

De acordo com Pe João Evangelista, reitor do Santuário Bom Jesus de Matosinhos, em Conceição do Mato Dentro, entre os assuntos tratados, foi proposto que alguns eventos sejam realizados no processo de organização e preparação da romaria: uma assembleia preparatória que possivelmente acontecerá nas áreas de pastoral da diocese, um trabalho missionário em Conceição do Mato Dentro, cidade sede da romaria, com presença de fiéis de toda diocese de Guanhães e província eclesiástica de Mariana, os quais fazem parte da bacia do Rio Doce. “É muito importante que o máximo de missionários participem desse momento”, pede o reitor do Santuário Bom Jesus.

No jubileu o dia 23/06 terá uma especial atenção para a romaria desde a missa da manhã. A Tenda da Palavra dos dias 23 e 24 serão conduzidas pela equipe da romaria que irá expor a temática e material sobre a conservação do meio ambiente e a degradação que a monocultura e mineração realizam.

O cenário da monocultura do eucalipto, somado à escassez de água e da mineração predatória que assolam a região e toda Minas Gerais, darão o tom da temática e da ação missionária.

O tríduo preparatório faz parte da preparação para Romaria e será a reta final para o grande dia deste evento, 04 de setembro, o qual será resultado de muita reflexão, trabalho, formação, e oração.

Às 8h da manhã será realizado a abertura seguido de caminhada simbólica em direção ao Santuário para a missa e momento de partilha de talentos e experiências em frente ao santuário.

“Nossa Romaria quer ser o eco de tantos gritos e a expressão solidária e esperançosa de numerosas pessoas, família, comunidades e grupos étnicos que sofrem direta ou indiretamente”. (cf.: Carta da V Romaria)

Texto: Diocese de Gunhães (MG) | Imagem: Cáritas MG

CNBB Leste 2